Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
Rua Esteves Júnior, 50, Sala 404 - Florianópolis
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Os 3 Problemas Psicológicos mais comuns, Sintomas e Tratamentos

problema psicológico

Problemas psicológicos são aqueles visitantes indesejados que insistem em fazer casa na nossa mente nos momentos mais desagradáveis possíveis.

Isso não significa que todo e qualquer sentimento negativo ou que não queremos sentir configura um problema psicológico.

Ao contrário, como seres humanos, estamos habituados a enfrentar todo tipo de emoção ao longo dia, desde tristeza, euforia, alegria, animação, decepção, impaciente e afins…

É uma montanha russa que já estamos tão habituados, que se torna natural passar por isso, mesmo que algumas pessoas vivenciem mais alguns sentimentos do que outros.

Tudo pode aparecer de forma muito sutil ou intensa e isso vai depender exclusivamente de indivíduo para indivíduo, já que cada um carrega seus traumas desde a infância, sua história, sua genética e seu próprio contexto de vida.

De qualquer forma, os problemas psicológicos da pessoa acabam pesando na sua vida e aflorando demais alguns sentimentos, fazendo muitos deles se tornarem, inclusive, rotina.

Esses ciclos não são saudáveis, pois passam a destruir a saúde mental dessas pessoas, fazendo com que elas adotem comportamentos destrutivos e tenham suas vidas desorganizadas e muito fragilizadas também.

Vamos entender um pouco mais sobre as dificuldades dos problemas psicológicos e suas consequências no artigo de hoje, então não deixe de conferir até o final!

 Problemas psicólogicos o que é

 

O que é problema psicológico?

Um problema psicológico ou, como alguns especialistas se referem: uma doença de ordem mental, pode se caracterizar como questões internas que podem causar perturbação ou desalinhamento das funções emocionais de alguém.

São questões que não vêem gênero, idade, característica racial, política, social ou sequer crenças, porque podem atingir literalmente qualquer pessoa, desde a criança até a idosa.

Isso pode acontecer de forma agressiva ou disfarçada, mas de qualquer forma, acaba gerando problemas internos e, dependendo, até externos.

Os pilares prejudicados pelos problemas psicológicos podem ser os mais variados, desde a vida profissional, até as relações familiares, amorosas e de amizade da pessoa prejudicada.

Esses pontos são de extrema importância para o funcionamento saudável e pleno de uma vida como qualquer outra.

Então, é muito comum que pessoas com questões psicológicas encontrem dificuldades de lidar com os próprios problemas sozinha, especialmente se eles forem provenientes dos sintomas da sua doença.

Algo que não significa que ela irá buscar ajuda, até porque essas dificuldades passam a se transformar em rotina, até chegar em um limite. E alguns limites são maiores que outros, novamente, dependendo da pessoa.

Isso acontece, porque ela fica vulnerável ou, simplesmente, não se atenta aos sintomas, seja por viver a vida toda com eles ou por ter reais dificuldades nessa percepção.

Seja como for, os problemas psicológicos de alguém são muito destrutivos, porque começam a refletir na forma que ela trata a si mesma, mas também o mundo ao seu redor.

Isso é perigoso, porque deixa qualquer um desequilibrado emocionalmente, além de poder desencadear outros transtornos futuramente através da insistência dos sintomas.

Outro ponto muito importante sobre esses problemas psicológicos é que eles possuem as suas próprias categorias, como se os visitantes indesejados tivessem seus próprios familiares.

Cada um possui suas variações e próprias inconstâncias, que possuem tratamentos e necessitam de atenções diversificadas.

Alguns podem ser tratados somente com psicoterapia, enquanto outros podem necessitar do acompanhamento psiquiátrico e medicamentoso.

Tudo vai depender do nível da gravidade, isto é, do quanto o dia a dia dessa pessoa é atingida por isso, e do contexto em que ela é disposta.

Muitas pessoas necessitam de mais espaço para elaborar seus próprios problemas, porém outras querem e precisam da assistência próxima de profissionais e especialistas.

Independentemente do nível e da origem do problema psicológico, é necessário que a pessoa decida buscar ajuda de quem entende: um terapeuta!

Isso porque a menor das preocupações pode estar mascarando uma depressão ou algo que realmente pode derrubar aquela pessoa, criando dificuldades para que ela saia do lugar.

Ninguém merece passar por isso, muito menos sozinho e enfrentando as mazelas das dores emocionais!

problema psicológico

 

O que causa problemas psicológicos?

A causa de distúrbios psicológicos é muito variada, isto é, impossível indicar apenas um pilar como decisivo para desenvolver qualquer problema psicológico que seja.

Como já falamos anteriormente, cada pessoa carrega a sua própria bagagem, o que permite que ela sinta e elabore suas próprias questões de formas diversificadas.

Isso só nos mostra o tamanho da complexidade humana e o quanto ela pode ser explorada, especialmente no campo da psicologia.

Por isso, a terapia se torna uma aliada tão grande nessas horas.

Identificar o problema não é o suficiente para se livrar dele, sabia?

Se faz necessário entender as origens, as raízes reais daquela questão e o que a motivou ao ponto de ganhar tal tamanho e tanta influência na vida daquela pessoa.

Isso pode ser feito em parceria com um especialista da saúde mental, um psicólogo, que será o responsável por desvendar o passado e a rotina da pessoa em questão, elaborando o quebra-cabeças corretamente.

A abordagem ideal vai mostrar onde o problema se iniciou, colaborando com as possibilidades de diagnóstico e, posteriormente, tratamento.

Isso é importante para que a pessoa entenda mais sobre si mesma e os possíveis pensamentos que ela precisa desenvolver.

Transtorno mental é uma questão séria e que muitas pessoas não sabem de onde vem e, de fato, as suas motivações podem ser extremamente variadas.

No entanto, existem algumas questões pontuais que podem colaborar com o surgimento do distúrbio, em geral.

Geralmente, uma perturbação emocional não surge do nada, ela pode ir se constituindo com o passar do tempo, recebendo inúmeras influências ao longo da nossa vida.

Ambientes de estresse como o trabalho, a escola ou a faculdade, por exemplo, podem colaborar muito com o encaminhamento para um transtorno sério, se não tivermos o devido cuidado.

Esses são típicos espaços em que testamos os limites da nossa emocionalidade, porque é onde precisamos produzir o tempo todo, exercer o nosso lado social e ainda cumprir com tarefas que nem sempre são agradáveis.

O limite acaba aparecendo e nem sempre ele é passível de fuga, mas a gente precisa aprender a lidar com ele, evitando a autossabotagem e o autoengano.

Não há problemas em se sentir cansado, estressado ou frustrado, esses são sentimentos comuns e que fazem parte do nosso dia a dia… O problema é quando eles se tornam rotina!

Ficar sempre tendo pensamentos negativos e pesados sobre o ambiente em que você está pode ser um sinal muito ruim e de necessidade de mudança.

Isso porque ambientes assim geram ansiedade e, em alguns casos, até depressão ou Síndrome de Burnout, por exemplo.

Bom mesmo é fugir disso de vez, buscando sempre espaços mais leves ou que possam te permitir sentir boas coisas.

Outro ponto muito válido como razão para os problemas psicológicos é o famoso trauma.

Muita gente passa por episódios específicos na vida que geram grandes lacunas emocionais e algumas podem ser mais difíceis de superar do que outras.

Há pessoas que seguem suas vidas sem nunca se curar desses momentos, o que cria uma grande bola de neve emocional que se torna sinônimo de dor de cabeça.

Problemas mal resolvidos, brigas antigas, inseguranças não superadas, relações atravessadas e sentimentos sufocados sempre podem reaparecer em forma de algum transtorno mais complexo, embora não se saiba disso.

Daí a necessidade de se manter atento às próprias casualidades e fazer a inclusão de uma rotina de terapia ao longo dos seus dias.

Além desses pontos, há também as questões genéticas e familiares que podem, sim, ter um peso na hora de identificar problemas psicológicos, afinal estamos falando de doenças emocionais tão importantes quanto às físicas.

 

Como saber se estou com problema psicológico? Veja os sintomas:

Como já falamos anteriormente, problemas psicológicos podem se manifestar de formas muito diferentes, afinal cada um tem suas origens e demonstram sentimentos e desordens de um jeito.

No entanto, por se tratar de questões emocionais internas, há sintomas que as pessoas podem perceber nelas mesmas ou sinais que colegas, amigos e familiares podem observar nos outros também.

Nesses casos, é sempre importante que a pessoa com os sinais busque por algum atendimento sem preconceitos ou medos da psicoterapia, por mais difícil que seja.

É preciso que ela tenha segurança e saiba da diferença que aquele tratamento pode lhe oferecer, porque isso ajuda e impulsiona toda e qualquer sessão.

Dito isso, é possível notar alguns comportamentos específicos ou emoções que evidenciam problemas psicológicos, observe:

  • insônia ou dificuldades na hora de dormir
  • inconstância de humor: sentir raiva, alegria, medo, euforia e semelhantes em um curto período de tempo
  • episódios de descontrole emocional
  • chorar por qualquer coisa ou sem motivo aparente
  • suar ao ficar nervoso ou tenso
  • ter pensamentos negativos e autodestrutivos com constância
  • ter grandes dependências sobre algo específico, seja uma pessoa, atividades, o telefone, lugares ou coisas que tragam conforto e distração
  • evitar conflitos diretos e indiretos o tempo todo
  • mudanças aparentes de apetite, seja a dificuldade para comer ou a vontade de estar sempre comendo
  • sono interrompido, abalado ou exacerbado
  • estresse constante
  • sentimento de raiva em alguns momentos, gerando descontrole
  • falta de força de vontade e entusiasmo, desânimo
  • dores musculares fortes, dores de cabeça e enjôos
  • dependência de substâncias, sejam elas drogas, álcool ou semelhantes
  • falta de libido
  • a perda de interesse em coisas que antes eram agradáveis
  • sentimento de solidão constante ou abandono
  • humor instável
  • dificuldade de lidar com sentimentos negativos
  • pensamentos acelerados

Todos esses são sintomas que muitas pessoas sentem e acreditam fazer parte de uma rotina de desordem ou mais agitada.

Lendo esse artigo, é importante que você perceba como esses são sinais perigosos e que demonstram que algo interno não anda bem e que pode, inclusive, refletir isso para fora.

Lembrando que algumas dessas atitudes e sentimentos são comuns no dia a dia, mas o problema se apresenta quando passa a se tornar algo constante e muito duradouro, de difícil superação.

problema psicológico

Conheça os 3 problemas psicológicos mais comuns:

Agora que você já sabe de onde esses problemas podem surgir e se desenvolver na nossa vida, separamos três problemas psicológicos mais comuns no mundo.

Esses que têm crescido bastante entre população, sem ligar para idade ou origem delas.

 

Ansiedade

Esse é um problema extremamente comum e é muito, se não o mais, popular atualmente.

Especialmente em tempos de pandemia e isolamento, muitas pessoas têm voltado seus olhos para a questão da ansiedade, que nada mais é do que um transtorno com fortes sintomas (tanto físicos quanto mentais).

Ela se apresenta em diferentes níveis e pode se manifestar de diferentes formas, mas consegue ser suficientemente desagradável para qualquer pessoa.

Isso porque a ansiedade bloqueia nossos pensamentos ou desencadeia todos eles de uma vez só, causando desconforto, medos, insegurança, travas emocionais e externas.

Depressão

Outro transtorno de ordem mental, a depressão é extremamente debatida nos dias de hoje, pois tem ganhado espaço nas redes sociais e em ambientes em que antes o tratamento depressivo era olhado como exagero.

De níveis muito distintos, a depressão pode se apresentar como um sentimento de tristeza profunda que leva as pessoas aos níveis mais altos de descontentamento e autodeterioração.

Muitos jovens têm trazido mais o debate para dentro das comunidades familiares, especialmente com o aumento do compartilhamento de informações e da preocupação com aquilo que conhecemos como saúde mental.

Esse é um transtorno que reflete muito na integridade física das pessoas também, dependendo de cada um, afinal a dor individual dessas pessoas as fazem chegar em extremos realmente desagradáveis para si mesmas.

Transtornos Alimentares

Esse já tem seu significado no próprio nome: um distúrbio relacionado a alimentação e as formas como as pessoas se relacionam com a comida.

Muitas desenvolvem ele através do tempo e da dificuldade de ver beleza e satisfação dentro do próprio corpo, o que nos leva a lembrar de outros problemas como a dismorfia corporal, por exemplo.

Esses são pontos que fragilizam a relação de autoestima e autoconfiança de alguém e faz ele seguir por caminhos nem sempre saudáveis para si mesmo.

Infelizmente, também se trata de uma doença popular e muito reforçada, especialmente entre jovens em fase de crescimento que tentam se encaixar mais  e mais em padrões inalcançáveis de beleza.

 

Como lidar com problemas psicológicos infantis, na adolescência e na fase adulta?

Certamente, há protocolos e orientações diferentes a se seguir quando o assunto é problemas psicológicos em crianças, adolescentes e adultos.

As fases diferentes da vida exigem dos profissionais da saúde mental uma diferente atenção e até abordagem ao longo das sessões de terapia, mas a prática a ser levantada por pais, por exemplo, é sempre a mesma:

Se atentar aos sinais e ir em busca de um profissional que possa observá-los e contorná-los junto com o paciente.

De fato, nem sempre é uma tarefa fácil, afinal é necessário que seus filhos se sintam à vontade e confiantes com a ideia do atendimento, por isso é necessário manter um diálogo.

No caso de criança, é mais fácil, pois existem opções como  ludoterapia, musicoterapia e semelhantes para que ela possa se soltar e se comunicar livremente com o profissional.

Já com adolescentes, a modalidade se sustenta na terapia individual, com diálogos e exercícios guiados, também, por um terapeuta.

E com adultos, não é diferente: sessões de conversas e dinâmicas guiadas com um psicólogo capacitado e totalmente inserido no contexto daquela pessoa.

O profissional que atender essas diferentes pessoas saberá exatamente por onde começar o trabalho, adaptando cada tratamento de acordo com as limitações e necessidades daquela pessoa.

Assim, se cria um ambiente de confiança e total aproveitamento da terapia, seja na idade que for!

De resto, uma pessoa com questões psicológicas pode precisar muito de acolhimento de familiares e amigos, pois o tratamento sempre exige um tanto.

Nessas horas, para lidar bem e de forma agradável com o paciente, é importante ter um olhar cuidadoso, empático e até carinhoso, em vista das dificuldades emocionais que aquela possa pode estar enfrentando.

Nem sempre pode ser fácil, especialmente quando os sintomas tomam conta da rotina e acabam respingando em quem está ao redor.

Porém, tudo fica mais fácil se for encarado como um grande processo recheado de possibilidades e chances de cura!

 tratamento para se livrar de um problema psicológico

 

Qual o tratamento para se livrar de um problema psicológico?

Como já citado anteriormente, o tratamento mais indicado para se livrar de problemas psicológicos, independentemente de idade, é o acompanhamento na terapia.

Isso porque lá haverá a disponibilidade de um profissional com experiência, que saberá analisar e melhorar as questões emocionais que tanto incomodam.

Algo que irá gerar maior tranquilidade e até controle por parte do paciente que buscar ajuda.

Muitas pessoas ainda podem manter suas dúvidas sobre a psicoterapia, mas não há nada mais certeiro e positivo para lidar com problemas psicológicos como ela, afinal tem toda a sua função em cima disso.

O processo de cura é bem mais prático ao lado dela, ainda que possa exigir tempo e certa dedicação das pessoas que a procuram…

Não existe erro nesse processo, somente tentativas de melhora e o apoio de um profissional inteiramente dedicado em otimizar a vida de seus pacientes.

As vantagens são infinitas, né? Mas e você? Já percebeu esses sinais em alguém ou identificou sintomas assim em si mesmo?

Que tal dar uma checada? Aqui, na Psicotér, a gente conta com uma grande equipe de psicólogas que pode estar te ajudando a superar essas questões psicológicas, além de te reorganizar e melhorar sua qualidade de vida!

Entre em contato com a nossa equipe de atendimento para marcar a sua consulta BÔNUS! Sua saúde mental merece!

Lisiane Duarte

Lisiane DuarteFundadora da Psicotér, CEO e Diretora Técnica, Psicóloga Cognitivo-Comportamental, completamente apaixonada pelo ser humano, realizada e privilegiada por poder participar da transformação de vidas. Experiência de mais de 20 anos de atuação clínica e empresarial. Psicoterapeuta individual e em grupo de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casal e família, online e presencial, pós-graduada em Gestão do Capital Humano. Consultora de recolocação profissional desde 2003, capacitando e orientando profissionais em transição de carreira na busca de novas oportunidades. Também consultora em diversas empresas nacionais e multinacionais, nas diversas áreas de RH, atendimento e avaliação psicológica de profissionais.

Gostou? Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus




    Se identificou com o assunto deste post?


    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*
    Seu e-mail*
    Seu telefone

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.