Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Medo de Abandono: O que é e como Superar com a Psicologia

medo de abandono e rejeição

Coração batendo forte, nó na garganta e um aperto no peito… Essa sensação familiar é o medo de abandono, um fantasma que assombra muita gente.

É como se a qualquer momento o chão fosse abrir e você fosse cair num abismo sem fundo.

Muitas vezes, esse medo vem de experiências passadas, de perdas e abandonos que marcaram nossa vida. Ele se torna um obstáculo, nos impedindo de criar vínculos saudáveis e levando a comportamentos compulsivos.

Em casos mais graves, pode até desencadear transtornos psicológicos.

Mas calma! Tem jeito de lidar com esse medo e viver uma vida mais tranquila e plena. Neste artigo, você vai entender melhor o que é o medo de abandono, quais são suas causas e como a psicologia pode ajudá-la.

 

O que é o medo de ser abandonada?

Autofobia: um nome difícil para um medo que muitos já sentiram na pele: o pavor de ficar sozinha. É como se um fantasma te perseguisse, sempre te lembrando que você não é capaz de se virar sozinha.

Esse medo pode aparecer em qualquer lugar: no amor, na amizade, com a família, até no trabalho. Acontece com crianças, adolescentes, adultos e até com idoso.

A pessoa com autofobia fica dependente dos outros, sempre buscando aprovação e companhia para se sentir segura.

É como se ela precisasse de um escudo para sua própria proteção. E isso pode levar a vários problemas:

 

O medo de abandono tá sempre coladinho com o tal do transtorno de personalidade borderline (TPB). Mas será que são a mesma coisa?

A síndrome do abandono é um dos principais sintomas do TPB, mas não significa que ter esse medo é o mesmo que ter o transtorno.

O TPB é uma condição complexa que envolve vários outros sintomas interligados, como:

 

Quais são os sintomas do medo de abandono?

O medo de ser abandonada é um fantasma conhecido. Ele cria sombras de insegurança e ansiedade nos relacionamentos, te impedindo de viver o amor de verdade.

Se você se identifica com alguns dos sinais abaixo, talvez esteja na hora de dar atenção a essa questão:

 

  • Pânico de ficar sozinha;
  • Sabotagem de relacionamentos: você cria problemas, desconfia do namorado sem motivos, se encuca em cada passo e termina tudo antes que ele possa te dar o fora – é a tal falta de afeto batendo à porta;
  • Necessidade de garantias constantes: você precisa ouvir sempre que é amada, que não será abandonada, e qualquer sinal de desinteresse pode te levar ao desespero;
  • Apego a relacionamentos doentios: mesmo em relacionamentos abusivos ou tóxicos, você se agarra à ideia de não ficar sozinha. A carência afetiva e dor de estar com alguém que te faz mal pode ser menor do que o terror de ser abandonada;
  • Envolvimento em relações superficiais: por medo de se apegar e ser abandonada, você se envolve em relações superficiais, sem compromisso. Isso pode te levar a ter vários parceiros, mas nunca se sentir realmente conectada a ninguém.

 

Sintomas em crianças com medo de rejeição

O medo de rejeição e abandono é um problema que acompanha a infância de muita gente. Ele pode afetar a autoestima, a segurança e atrapalhar o desenvolvimento social da criança, tanto em casa quanto na escola.

Se você acha que seu filho está sofrendo com esse problema, alguns sinais podem te ajudar a identificá-lo:

  1. Sente que não faz parte: ela parece não se encaixar no grupo, evita contato com outras crianças, não quer participar de atividades ou fica grudada nos pais o tempo todo;
  2. Não curte a vitória: mesmo quando consegue fazer algo bem, a criança não se sente feliz por isso. Ela pode até diminuir suas conquistas, dizer que foi sorte ou que não vai conseguir fazer de novo;
  3. Sensível a críticas: crianças com medo de rejeição não gostam nem um pouco de ser criticadas, mesmo que seja para ajudar. Elas podem ficar muito tristes, achar que são ruins ou até mesmo brigar;
  4. Estar sempre na defensiva: em alguns casos, o medo de ser rejeitada pode fazer a criança se tornar irritada, brigar com os amigos e até mesmo apresentar comportamentos violentos;
  5. Ansiedade e insegurança: ela pode ficar obcecada com o que os outros pensam dela, ter medo de falar em público ou nem querer tentar coisas novas com medo de fracassar.

Veja também: Como lidar com o sentimento de inutilidade!

 

Terapia para medo de abandono

Principais causas do medo de abandono

Essa angústia de ser abandonada pode se manifestar de várias maneiras e tem raízes complexas, com vários fatores que contribuem para o seu desenvolvimento:

  1. Traumas: a criança que passa por episódios de abuso, perda de um ente querido ou é negligenciada, pode começar a achar que não é amada ou que não merece amor, o que aumenta a chance de ter medo de ser abandonada na vida adulta;
  2. Ansiedade: a ansiedade, principalmente o transtorno de ansiedade de separação, também pode alimentar esse medo;
  3. Estado emocional abalado: baixa autoestima, insegurança e dificuldade em lidar com as emoções podem deixar a pessoa mais vulnerável ao medo do abandono. É a crença de que não é digna de amor;
  4. Mudanças: mudanças bruscas, como término de relacionamento, mudança de cidade ou perda de emprego, podem despertar o medo do abandono em pessoas que já têm essa predisposição.

 

O que o trauma de abandono pode causar?

Ser abandonada, principalmente na infância, pode deixar marcas profundas na vida de muitas mulheres. Essa experiência pode se mostrar de diferentes formas, afetando a saúde mental, emocional e até mesmo o comportamento.

 

  1. Sensação de alerta constante: a sensação de ter sido abandonada pode deixar a mulher sempre em alerta, como se estivesse esperando algo ruim acontecer;
  2. Mudanças bruscas de comportamento: com medo de ser abandonada novamente, a mulher pode ter mudanças bruscas de comportamento. Ela pode se tornar dependente de outras pessoas, buscando sempre a aprovação para evitar ficar sozinha;
  3. Regressão emocional: em alguns casos, o trauma de abandono pode levar a mulher a regredir para uma fase anterior do seu desenvolvimento, causando um bloqueio emocional. Pode se sentir como uma criança, precisando de cuidados a todo momento;
  4. Comportamentos agressivos: a frustração e a raiva que a mulher sente por ter sido abandonada podem se manifestar em comportamentos agressivos. Ela pode se tornar irritável, explosiva e até mesmo violenta, tanto verbal quanto fisicamente.

 

Tratamentos para o medo do abandono

O segredo para superar o abandono é construir limites emocionais saudáveis. Isso significa criar uma espécie de “armadura” para se proteger de pensamentos e sentimentos negativos que podem surgir quando você se sentir ameaçada de ser abandonada novamente.

Tratamentos primários para problemas de abandono incluem:

 

  • Psicoterapia: um psicólogo te ajudará a entender como o trauma do abandono te afetou e te dará as ferramentas necessárias para superar seus medos e construir relações mais saudáveis;
  • Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC): te ajuda a identificar pensamentos negativos e distorcidos sobre o abandono e te ensina a substituí-los por pensamentos mais realistas e positivos.
  • Terapia de Esquemas: te ajuda a identificar padrões de comportamento que podem levá-la a se colocar em situações de risco de abandono;
  • Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT): te ensina a aceitar seus pensamentos e sentimentos sobre o abandono e a viver uma vida mais presente e significativa;
  • Medicação: em alguns casos, a medicação pode ser útil para controlar a ansiedade, a depressão e outros sintomas que podem estar relacionados ao trauma;
  • Grupos de Apoio: compartilhar suas experiências com outras pessoas que também passaram pelo trauma do abandono pode ser muito útil.
  • Autocuidado.

 

Como a psicologia pode ajudar a superar o medo de abandono?

A gente sabe que o medo de ser abandonado pode ser um bicho de sete cabeças, concorda? A boa notícia é que a psicologia pode te dar uma mãozinha para lidar com essa insegurança emocional e construir relações mais saudáveis.

Aqui estão algumas maneiras pelas quais isso ocorre:

  • Entender a raiz do problema;
  • Identificação de padrões de pensamento negativos;
  • Aprender a lidar com as emoções;
  • Fortalecimento dos relacionamentos;
  • E muito mais!

 

Terapia sexual online funciona

 

Perguntas frequentes sobre o medo de abandono

Aqui estão algumas das perguntas comuns que geralmente as pessoas fazem quando se trata sobre o transtorno do medo de abandono. Acompanhe!

 

Como se chama o medo de abandono?

A fobia, ou transtorno de medo de abandono, tem dois nomes: autofobia e monofobia.

 

Como saber se eu tenho trauma de abandono?

Se você já passou por situações marcantes de separação ou rejeição que te marcaram profundamente, é possível que tenha desenvolvido um trauma de abandono.

Isso pode deixar marcas emocionais que duram tempo e causar alguns problemas, como:

 

  • Ansiedade que parece que vai te sufocar;
  • Medo enorme de ficar sozinha;
  • Dificuldade para confiar nas pessoas.

 

O que a psicologia fala sobre abandono?

O abandono é um assunto complexo que afeta o desenvolvimento humano e as relações interpessoais. Ele pode ser físico (abandono de um bebê, por exemplo) ou emocional (negligência afetiva).

 

Você sente que convive o mede de ser rejeitada? Quer buscar a ajuda certa nesse processo? Venha conversar com a gente e marque hoje mesmo a sua Consulta VIP!

 

Lisiane Duarte

Lisiane DuarteFundadora da Psicotér, CEO e Diretora Técnica, Psicóloga Cognitivo-Comportamental, completamente apaixonada pelo ser humano, realizada e privilegiada por poder participar da transformação de vidas. Experiência de mais de 20 anos de atuação clínica e empresarial. Psicoterapeuta individual e em grupo de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casal e família, online e presencial, pós-graduada em Gestão do Capital Humano. Consultora de recolocação profissional desde 2003, capacitando e orientando profissionais em transição de carreira na busca de novas oportunidades. Também consultora em diversas empresas nacionais e multinacionais, nas diversas áreas de RH, atendimento e avaliação psicológica de profissionais.

Gostou? Compartilhe

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus

    Se identificou com o assunto deste post?

    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*

    Seu e-mail*

    Seu telefone

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *