Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Vigorexia: O que é, Causas, Sintomas e Tratamento

vigorexia

Você já ouviu falar sobre a Vigorexia?

A busca incessante pela perfeição e a busca por um corpo idealizado são aspectos predominantes em nossa sociedade contemporânea.

Com a influência da mídia, redes sociais e padrões de beleza que permeiam nossa cultura, a imagem corporal tornou-se um foco central na vida de muitas pessoas. 

Entre os desafios que surgem nessa busca pela perfeição, destaca-se a vigorexia, um transtorno psicológico que afeta indivíduos que desejam compulsivamente um corpo musculoso e definido. 

Esse transtorno, também conhecido como Transtorno Dismórfico Muscular (TDM), é um distúrbio complexo que merece uma atenção profunda. 

Enquanto muitos buscam a magreza como um ideal de beleza, os indivíduos afetados por essa condição perseguem obsessivamente o desenvolvimento muscular e a definição física. 

Este desejo incontrolável de conquistar um corpo “perfeito” muitas vezes leva a práticas extremas, como exercícios excessivos, dietas restritivas, uso de suplementos alimentares e, em casos mais graves, o consumo de esteroides anabolizantes. 

Essas práticas podem ser prejudiciais à saúde física e mental, causando sérias complicações. 

Dessa forma, criamos este artigo para te mostrar mais detalhes sobre a vigorexia, as maneiras que ela se manifesta e quais os perigos que pode representar para a sua saúde, tanto física, quanto mental!

 

O que é vigorexia?

A vigorexia, também conhecida como Transtorno Dismórfico Muscular (TDM), é um distúrbio psicológico que envolve uma preocupação excessiva e dismórfica com o tamanho e a definição muscular do corpo.

Indivíduos com vigorexia frequentemente dedicam uma quantidade significativa de tempo e esforço em atividades como exercícios intensos, dietas restritivas, uso de suplementos alimentares e esteroides anabolizantes, a fim de atingir o que eles percebem como o ideal de um corpo musculoso. 

Dessa forma, a obsessão pode interferir significativamente na qualidade de vida e no bem-estar do indivíduo, levando a consequências negativas para sua saúde física e mental.

Através disso, é preciso compreender que a vigorexia, por vezes, passa despercebida ou é subestimada, mas seus efeitos podem ser devastadores. 

É fundamental compreender o que é esse transtorno, suas causas, sintomas e tratamento para ajudar aqueles que sofrem desse transtorno a encontrar uma saída para o ciclo vicioso em que se encontram.

A grande realidade é que a pressão social e as expectativas em relação à aparência física desempenham um papel significativo na sua origem. 

Os meios de comunicação, a indústria da moda e a cultura do fitness contribuem para a disseminação desses padrões inatingíveis de beleza, alimentando a obsessão pela musculação e o corpo perfeito. 

Portanto, essa busca incessante por uma imagem corporal idealizada é o cerne da vigorexia.

 

Qual a diferença entre a anorexia e vigorexia?

A vigorexia e a anorexia são dois transtornos alimentares distintos, embora ambos envolvam preocupações excessivas com a imagem corporal e a alimentação. A principal diferença entre esses transtornos reside em seus focos e objetivos opostos. 

Enquanto a vigorexia é caracterizada pela busca obsessiva de um corpo musculoso e altamente definido, a anorexia nervosa envolve uma preocupação patológica com a magreza extrema e a restrição severa de alimentos.

Na vigorexia, os indivíduos estão constantemente insatisfeitos com a aparência de seus músculos e acreditam que nunca estão suficientemente musculosos, independentemente de quão desenvolvidos seus músculos já possam ser. Isso leva a práticas extremas, como exercícios intensos, dietas restritivas e o uso de suplementos alimentares e esteroides anabolizantes.

Em contrapartida, a anorexia nervosa é caracterizada por uma percepção distorcida da própria imagem corporal, levando à crença de que se está acima do peso, independentemente de quão magro o indivíduo já seja. Isso resulta em uma restrição severa da ingestão de alimentos e, muitas vezes, leva a um emagrecimento perigoso.

Outra diferença importante está no gênero predominante em cada transtorno. 

A vigorexia é mais comum entre os homens, devido à pressão cultural que promove a musculação e o corpo musculoso como padrão de beleza masculino, enquanto a anorexia afeta mais frequentemente as mulheres, embora também possa ocorrer em homens. 

Ambos os transtornos podem ter sérias consequências para a saúde física e mental e requerem tratamento especializado.

 

Causas da vigorexia

As causas da vigorexia são multifatoriais e complexas, envolvendo uma interação de fatores biológicos, psicológicos, sociais e culturais. No entanto, compreender essas causas é fundamental para a prevenção e tratamento eficaz desse transtorno.

Primeiro de tudo, precisamos entender: a influência da sociedade e dos padrões de beleza é uma das principais causas da vigorexia. 

A pressão para se encaixar em ideais estéticos de corpos musculosos e definidos, promovida pela mídia, indústria da moda e cultura do fitness, pode levar os indivíduos a buscarem incessantemente esse padrão, mesmo que seja inatingível para a maioria.

Em segundo plano, pessoas com baixa autoestima e insatisfação com sua imagem corporal também são mais suscetíveis à vigorexia. A busca por validação e aceitação social pode levar ao desejo de alcançar um corpo considerado mais atraente.

Experiências traumáticas, como o bullying relacionado à aparência física, também podem contribuir para o desenvolvimento do transtorno. 

Indivíduos que foram alvo de zombarias ou críticas podem tentar compensar essas experiências negativas por meio da busca de um corpo musculoso.

Além disso, transtornos psicológicos, como a ansiedade e a depressão, podem aumentar o risco de vigorexia. 

Alguns indivíduos podem recorrer ao exercício e ao desenvolvimento muscular como uma forma de lidar com a depressão ou ansiedade, o que pode evoluir para um comportamento obsessivo.

Em outro plano, embora menos compreendidos, fatores genéticos e neuroquímicos podem desempenhar um papel no desenvolvimento da vigorexia. 

Alguns estudos sugerem que a predisposição genética para transtornos alimentares e obsessivos-compulsivos pode influenciar a suscetibilidade à vigorexia.

Por fim, ambientes familiares que valorizam a aparência física e promovem a competição e o desempenho atlético podem contribuir para o desenvolvimento da vigorexia em alguns casos.

vigorexia

 

Sintomas da vigorexia

Os sintomas da vigorexia variam em intensidade e podem ser físicos, emocionais e comportamentais. É importante observar que nem todos os indivíduos afetados pela vigorexia apresentarão todos os sintomas, e a gravidade dos sintomas pode diferir de pessoa para pessoa. Alguns dos sintomas mais comuns incluem:

 

Preocupação Excessiva com a Musculação: 

Indivíduos com vigorexia dedicam uma quantidade significativa de tempo e energia a treinos intensos de musculação e exercícios físicos, muitas vezes ultrapassando os limites recomendados, a fim de alcançar um corpo musculoso e definido.

Nem toda pessoa que é viciada em academia necessariamente tem vigorexia. Geralmente, essas pessoas gostam e aproveitam o estilo de vida saudável.

O problema se cria quando a atividade física se torna um risco para a saúde mental e física da pessoa, o que pode acontecer diversas vezes com quem convive com a vigorexia.

 

Dietas Restritivas e Contagem Calórica Obsessiva: 

A vigorexia frequentemente leva à adoção de dietas restritivas, com foco na ingestão de proteínas e baixa gordura. A contagem obsessiva de calorias e a exclusão de grupos alimentares podem ser práticas comuns.

Você certamente já acompanhou pela internet influenciadores ou redes compartilhadas que falam sobre “dieta seca barriga” ou “projetos de verão” que acabam envolvendo jejuns por longos períodos e uma alimentação completamente desequilibrada.

Essas dietas representam um enorme risco para a vida das pessoas, ainda que muitas não notem.

 

Uso de Suplementos Alimentares e Esteroides Anabolizantes: 

Para atingir resultados mais rapidamente, muitos indivíduos com vigorexia recorrem ao uso de suplementos alimentares, esteroides anabolizantes e outras substâncias que promovem o crescimento muscular. Essas substâncias são frequentemente utilizadas de forma abusiva e podem causar sérios danos à saúde.

Isso acontece através de muitas propagandas encontradas principalmente na internet! Diversas pessoas e influenciadores vendem pacotes e ideias falsas de que esses produtos fazem realmente bem para a nossa saúde, quando a realidade é oposta!

 

Preocupação Excessiva com a Aparência: 

A preocupação com a imagem corporal é central na vigorexia. Os afetados frequentemente se veem como magros ou fracos, independentemente de quão musculosos já sejam. Isso leva a uma insatisfação constante e à busca incessante por um corpo “perfeito”.

 

Isolamento Social: 

A dedicação intensa aos treinos e à alimentação muitas vezes resulta em isolamento social. Indivíduos com vigorexia podem evitar encontros sociais, atividades familiares e amizades em prol de suas rotinas de exercícios e dieta.

Toda pessoa que já sonhou com aquele “glow up’ quer mudar da noite para o dia e quer que seus amigos, familiares e conhecidos percebam a mudança.

Por esse motivo, muitas dessas pessoas podem acabar se afastando, se cobrando mais e ganhando certa distância em relação aos outros.

 

Ansiedade e Depressão: 

Muitos afetados pela vigorexia experimentam altos níveis de ansiedade e depressão. A pressão constante para atender aos padrões de musculação e a insatisfação com a própria imagem corporal podem afetar significativamente o bem-estar emocional.

A ansiedade e a depressão surgem como consequência da insistência da vigorexia, afinal ela aumenta o nível de cobrança da pessoa, piora suas relações, atrapalha sua produtividade e machuca a pessoa (tanto fisicamente, quanto emocionalmente).

A vigorexia por si só já é um transtorno extremamente delicado e doloroso de se conviver com, agora quando a ansiedade e a depressão entram no jogo, as coisas podem ficar ainda pior!

 

Negligência da Saúde Física: 

A busca pela perfeição muscular muitas vezes leva à negligência de outros aspectos da saúde física, como o descanso adequado, a recuperação e a prevenção de lesões. Isso pode resultar em lesões musculares, desgaste das articulações e outros problemas de saúde.

O transtorno pode levar as pessoas a chegarem a limites extremos, negligenciando a própria saúde sem se importar.

Nesse processo, as pessoas costumam ignorar prescrições médicas, recomendações de profissionais da saúde e assim por diante.

vigorexia

 

Vigorexia tem cura?

A cura completa da vigorexia pode ser uma jornada difícil e desafiadora, mas é importante destacar que a recuperação é possível. 

No entanto, o sucesso no tratamento pode variar de pessoa para pessoa. A cura da vigorexia envolve uma abordagem multidisciplinar que aborda não apenas os sintomas visíveis, mas também as causas subjacentes do transtorno. 

Ou seja, é preciso que haja envolvimento e total comprometimento por parte da pessoa que deseja realizar o seu tratamento.

É fundamental ressaltar que, como qualquer condição de saúde mental, a busca de ajuda profissional é o primeiro passo crucial para a recuperação.

 

Tratamento para vigorexia

O tratamento para a vigorexia pode ser feito de muitas formas, mas o ideal é fazer ele de maneira integrada, ou seja, contando com diferentes fontes de apoio.

Primeiro de tudo, um diagnóstico preciso é essencial para direcionar o tratamento da vigorexia. 

Isso envolve uma avaliação médica abrangente para avaliar o estado físico, identificar complicações de saúde relacionadas ao transtorno e determinar a necessidade de intervenções médicas.

Além disso, saiba que a terapia individual, como a terapia cognitivo-comportamental (TCC), é frequentemente utilizada no tratamento da vigorexia.

Ela ajuda os afetados a explorar e entender as crenças distorcidas sobre a imagem corporal, a autoestima e a busca incessante pela musculação. 

Esse processo também visa desenvolver estratégias para lidar com a ansiedade, depressão e obsessões associadas à vigorexia.

Outra maneira de contar com a psicologia nessa caminhada é inserir a terapia em grupo no seu cotidiano.

A terapia em grupo pode ser benéfica para aqueles com vigorexia, pois permite a interação com outros que enfrentam desafios semelhantes. 

Isso oferece apoio mútuo e a oportunidade de compartilhar experiências, sentimentos e estratégias de enfrentamento.

Por fim, é possível que sejam necessárias algumas intervenções médicas na prescrição de medicamentos ou similares.

Se você acha que convive com algo parecido com a vigorexia ou desconfia que esteja enfrentando algum transtorno alimentar, saiba que não está sozinho!

A Psicotér conta com uma equipe completa que pode te auxiliar nessa caminhada!

Entre em contato com a gente e marque hoje mesmo a sua Consulta VIP!

 

Texto de: Luísa de Oliveira – redatora da Equipe Psicotér

Aprovado por:

Lisiane Duarte

Lisiane DuarteFundadora da Psicotér, CEO e Diretora Técnica, Psicóloga Cognitivo-Comportamental, completamente apaixonada pelo ser humano, realizada e privilegiada por poder participar da transformação de vidas. Experiência de mais de 20 anos de atuação clínica e empresarial. Psicoterapeuta individual e em grupo de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casal e família, online e presencial, pós-graduada em Gestão do Capital Humano. Consultora de recolocação profissional desde 2003, capacitando e orientando profissionais em transição de carreira na busca de novas oportunidades. Também consultora em diversas empresas nacionais e multinacionais, nas diversas áreas de RH, atendimento e avaliação psicológica de profissionais.

Gostou? Compartilhe

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus

    Se identificou com o assunto deste post?

    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*

    Seu e-mail*

    Seu telefone

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *