Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Perfeccionismo: O que é, Sinais e Quando é um Problema?

perfeccionismo

O perfeccionismo é um traço de personalidade que muitas vezes é mal compreendido.

Enquanto muitos podem achar que a busca implacável pela perfeição é uma qualidade admirável, a psicologia nos ensina que isso pode ser uma faca de dois gumes.

Em primeiro lugar, o perfeccionismo pode levar a um nível excessivo de autocrítica, levando a uma autoestima prejudicada e uma carga emocional intensa. 

A pressão constante para atingir padrões inatingíveis pode resultar em altos níveis de estresse e ansiedade, afetando não apenas o bem-estar emocional, mas também a saúde física.

Além disso, o perfeccionismo pode ser uma barreira para o crescimento pessoal e profissional. Quando alguém insiste em fazer tudo perfeitamente, eles podem evitar assumir riscos e enfrentar desafios que são essenciais para o aprendizado e o desenvolvimento.

Isso pode limitar o potencial de alcançar metas e conquistar novas experiências, pois o medo do fracasso muitas vezes prevalece sobre a busca do progresso.

No entanto, é importante notar que o perfeccionismo não precisa ser uma sentença perpétua, isto é, ele pode ter um lado bom se cuidado da maneira correta.

Através da psicoterapia e do autoconhecimento, as pessoas podem aprender a lidar com seus impulsos perfeccionistas, encontrando um equilíbrio saudável entre a busca pela excelência e a aceitação de suas imperfeições.

Reconhecer que o perfeccionismo não é um padrão realista pode ser o primeiro passo para uma vida mais gratificante e menos estressante. Por isso, viemos te ajudar a dar esse primeiro passo com um conteúdo completo só para você, confira até o final e não perca nada!

 

O que é uma pessoa perfeccionista?

A pessoa perfeccionista é alguém que busca constantemente a excelência em tudo o que faz. Ela tem uma tendência a definir padrões muito altos para si mesma e para os outros, muitas vezes inatingíveis.

A pessoa que convive com o perfeccionismo valoriza a ordem, a precisão e a organização, e muitas vezes se esforça ao máximo para atingir esses ideais, seja no trabalho, na vida pessoal, ou em suas realizações acadêmicas.

Ela é altamente autoexigente e tende a ser crítica consigo mesma, frequentemente ignorando suas conquistas e se concentrando nas falhas ou imperfeições.Algo que pode gerar uma dor de cabeça daquelas!

O perfeccionista também pode ser extremamente meticuloso e detalhista, gastando tempo excessivo em tarefas para garantir que elas atendam aos seus padrões elevados. Isso pode fazer com que ele desenvolva pensamentos e comportamentos obsessivos.

Além disso, a pessoa perfeccionista muitas vezes experimenta altos níveis de ansiedade e estresse devido à pressão que ela mesma se impõe. Ela pode ter dificuldade em delegar tarefas ou confiar nos outros para realizar o trabalho, uma vez que acredita que só ela mesma pode alcançar a perfeição.

Embora o desejo de excelência seja uma qualidade admirável, quando levado ao extremo, o perfeccionismo pode ser uma característica que dificulta o bem-estar emocional e o crescimento pessoal.

 

Tipos de perfeccionismo:

O perfeccionismo é uma característica de personalidade que pode se manifestar de várias maneiras. Nós listamos aqui 5 tipos muito comuns de perfeccionismo para você conhecer:

 

Perfeccionismo Pessoal:

O perfeccionismo pessoal é direcionado principalmente para si mesmo.

Pessoas que exibem esse tipo de perfeccionismo estabelecem padrões extremamente altos para suas próprias realizações e comportamentos.

Elas são autocríticas e muitas vezes têm dificuldade em reconhecer suas conquistas, concentrando-se em suas falhas. Esse tipo de perfeccionismo pode levar a altos níveis de ansiedade e estresse.

Pessoas que convivem com esse tipo de perfeccionismo ainda podem sofrer com complexo de inferioridade ou até mesmo a Síndrome de Burnout, uma vez que se cobram demais e excedem limites sem pensar duas vezes.

 

Perfeccionismo Social:

O perfeccionismo social envolve a necessidade de atender às expectativas dos outros. Isso soa familiar?

Indivíduos com esse tipo de perfeccionismo buscam a aprovação e validação constante de amigos, familiares, colegas de trabalho e sociedade em geral.

Eles podem se sentir constantemente pressionados para corresponder às expectativas dos outros, muitas vezes às custas de seu próprio bem-estar.

É muito comum ver esse tipo de traço de personalidade em pessoas que cresceram em famílias emocionalmente distantes ou indisponíveis. É como se a pessoa se desenvolvesse tendo que provar o seu valor constantemente para os outros.

Além disso, é importante enfatizar que o perfeccionismo social também faz com que as pessoas excedam limites, se cobrando e se esforçando em níveis inimagináveis.

 

Perfeccionismo Relacional:

Esse tipo de perfeccionismo está relacionado aos relacionamentos interpessoais.

Pessoas com perfeccionismo relacional estabelecem padrões irreais para seus parceiros, amigos e familiares.

Elas podem ser críticas e exigentes com os outros, buscando que eles atendam a um ideal de perfeição. Isso pode causar tensão nos relacionamentos e levar a conflitos.

Esse tipo de perfeccionismo pode gerar um grande sentimento de solidão nas pessoas também, afinal elas se afastam, acabam criando barreiras e bloqueios em diversas das suas relações.

 

Perfeccionismo Profissional:

O perfeccionismo profissional está ligado à busca da excelência no ambiente de trabalho.

Pessoas com esse tipo de perfeccionismo podem se esforçar ao máximo para atingir altos padrões de desempenho, muitas vezes negligenciando sua saúde e equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

Isso pode resultar em esgotamento e problemas de saúde relacionados ao estresse. Sendo assim, tanto a mente, quanto o corpo dessa pessoa acabam pagando pelo prejuízo de tentar se destacar ou tentar receber certo reconhecimento.

Esse tipo de perfeccionismo também pode trazer questões como o Burnout ou até mesmo a exaustão digital.

Veja também: Não Consigo Trabalhar por Causa da Ansiedade. Veja como Lidar!

 

Perfeccionismo Estético:

O perfeccionismo estético se concentra na aparência física e na busca por um ideal de beleza.

Pessoas que exibem esse tipo de perfeccionismo podem ser excessivamente críticas em relação à sua própria aparência e frequentemente recorrem a procedimentos estéticos ou dietas extremas para alcançar os padrões de beleza estabelecidos pela sociedade.

É muito comum assistir adolescentes e jovens adultos crescendo com esse tipo de comportamento e pensamento, elevando seus corpos e suas mentes a níveis perigosos.

Isso pode, inclusive, acarretar em problemas graves como: depressão, anorexia, entre outros transtornos.

 

Perfeccionismo é doença?

O perfeccionismo não é classificado como uma doença mental em si. Em vez disso, é considerado um traço de personalidade que pode variar em intensidade e manifestação de uma pessoa para outra.

Embora ele não seja uma doença, pode levar a problemas de saúde mental, como ansiedade, depressão e estresse crônico, se não for gerenciado de maneira saudável.

Em alguns casos, quando o perfeccionismo atinge níveis extremos e provoca disfunção significativa na vida de uma pessoa, pode ser considerado parte de um quadro mais amplo de transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), transtorno de ansiedade social ou transtorno de personalidade obsessivo-compulsivo.

É importante distinguir entre o perfeccionismo como um traço de personalidade e as condições de saúde mental subjacentes que podem estar associadas a ele.

As pessoas que enfrentam desafios de perfeccionismo podem se beneficiar da terapia psicológica, como a terapia cognitivo-comportamental, para aprender estratégias de enfrentamento saudáveis e lidar com o impacto emocional negativo do perfeccionismo em suas vidas.

Portanto, embora o perfeccionismo não seja uma doença em si, pode ser um fator de risco para problemas de saúde mental e deve ser abordado quando causa sofrimento significativo.

perfeccionismo

Perfeccionismo é um defeito ou qualidade?

Considerando tudo que discutimos até aqui, você pode estar se perguntando: o perfeccionismo é um defeito ou qualidade? E a gente te responde!

O perfeccionismo pode ser tanto uma qualidade quanto um defeito, dependendo da maneira como é expresso e dos contextos em que é aplicado.

Quando moderado e equilibrado, o perfeccionismo pode ser considerado uma qualidade, pois pode impulsionar a busca pela excelência, promover a atenção aos detalhes e levar a realizações notáveis.

No entanto, quando levado ao extremo, o perfeccionismo pode se tornar um defeito, causando ansiedade, autocrítica excessiva, estresse e até prejudicar o bem-estar emocional e físico.

Nesses casos, a busca implacável pela perfeição pode levar à procrastinação, ao medo do fracasso e a um padrão irrealista que é impossível de ser alcançado.

Portanto, é fundamental encontrar um equilíbrio saudável entre a busca pela excelência e a aceitação das imperfeições para garantir que o perfeccionismo seja uma qualidade positiva em vez de um defeito prejudicial.

 

Como funciona a mente de um perfeccionista?

A mente de um perfeccionista é caracterizada por uma incessante busca pela excelência e pela necessidade de atender a padrões extremamente altos que eles estabelecem para si mesmos e, por vezes, para os outros.

Esses indivíduos tendem a ser altamente autocríticos, frequentemente se concentrando nas imperfeições e falhas, em vez de valorizar suas realizações.

A constante pressão autoimposta para atingir esses padrões pode levar a níveis elevados de ansiedade, estresse e um ciclo de preocupação constante sobre o desempenho.

Além disso, o perfeccionista tende a ser excessivamente detalhista, prestando atenção meticulosa aos aspectos minuciosos das tarefas e projetos.

Isso pode resultar em uma quantidade de tempo excessiva para cada tarefa, pois eles buscam garantir que tudo seja realizado de maneira impecável.

Paradoxalmente, essa busca pela perfeição pode levar à procrastinação, pois o medo de não ser capaz de cumprir seus próprios padrões elevados pode resultar em evitar a conclusão de tarefas. 

Por fim, a mente de um perfeccionista muitas vezes experimenta uma tensão constante entre a busca da excelência e o medo do fracasso e da frustração, afetando seu bem-estar emocional e sua qualidade de vida.

 

8 sinais de uma pessoa perfeccionista

Pessoas perfeccionistas possuem uma variedade de sinais e comportamentos que refletem sua busca implacável pela excelência e pela satisfação dos padrões extremamente altos que estabelecem para si mesmas. Aqui estão alguns sinais característicos de uma pessoa perfeccionista:

Autoexigência extrema:

Perfeccionistas frequentemente se impõem padrões excepcionalmente altos e exigentes. Eles se esforçam ao máximo para atender a essas expectativas, muitas vezes sem levar em consideração as limitações realistas.

É curioso observar, porque quase sempre as pessoas perfeccionistas não são tão cobradas. Na verdade, são elas que se colocam em uma posição de muita cobrança e trabalho árduo. Algo que pode ser extremamente negativo para a sua saúde física e mental!

A autoexigência extrema é um perigo, principalmente quando ela é utilizada de maneira desenfreada no trabalho, em casa e nas relações. As pessoas acabam se frustrando demais, o que atinge sua autoestima e assim por diante.

 

Autocrítica constante:

Uma pessoa perfeccionista tende a ser excessivamente crítica em relação a si mesma. Ela focaliza nas falhas e imperfeições, frequentemente ignorando suas realizações e sucessos.

É muito comum perceber pessoas perfeccionistas frustradas ou se autopunindo por não terem cumprido com as expectativas que elas mesmas colocaram em si.

Para muitos familiares e amigos isso pode ser algo doloroso de assistir, afinal a pessoa excede os próprios limites e acaba sacrificando diversas coisas importantes, desde o tempo de qualidade  até questões mais sérias como a sua saúde.

 

Procrastinação:

Surpreendentemente, o perfeccionismo pode levar à procrastinação, pois o medo de não ser capaz de atingir padrões elevados pode resultar na evitação da conclusão de tarefas ou projetos.

É um enorme paradoxo que acaba refletindo tanto as inseguranças da pessoa, quanto a sua baixa autoestima.

Ela acaba adiando suas tarefas e atividades por medo de fazer errado ou não conseguir atingir o nível de perfeição que tanto espera. Depois disso, vem a culpa, a sensação de que falhou e o vazio.

 

Detalhismo excessivo:

Perfeccionistas são notoriamente detalhistas, prestando atenção minuciosa aos aspectos minuciosos das tarefas e projetos.

Isso pode resultar em uma alocação excessiva de tempo para cada tarefa, à medida que buscam garantir que tudo seja feito de maneira impecável.

Além disso, pessoas que cuidam muito de detalhes também acabam criando uma enorme margem para a frustração, uma vez que nem todas as pessoas ao seu redor irão prestar atenção ou valorizar as mesmas coisas que elas.

 

Padrões inatingíveis:

Eles estabelecem padrões irrealistas que são quase impossíveis de serem cumpridos, criando uma constante pressão sobre si mesmos.

Novamente, é um caminho perigoso que acaba criando um espaço enorme para a frustração, uma vez que mesmo trabalhando muito, a pessoa não consegue atingir os padrões que ela mesma estabeleceu.

Isso machuca, faz com que ela se sinta insuficiente e assim por diante.

 

Ansiedade e estresse elevados:

A busca incessante pela perfeição gera ansiedade constante e estresse, uma vez que esses indivíduos se preocupam em não atender aos próprios padrões elevados.

É um ciclo constante de muita organização, dificuldade de lidar com as próprias emoções, tentativas e mais tentativas de acerto e problemas em aceitar os próprios erros.

Isso consome a pessoa pouco a pouco, até ela chegar a algum limite.

 

Dificuldade em delegar:

Perfeccionistas muitas vezes têm dificuldade em confiar nos outros para realizar tarefas, uma vez que acreditam que só eles próprios podem atingir a perfeição.

Por esse motivo, a perfeição e a necessidade de alcançá-la pode acabar se tornando um grande problema: a pessoa não pede ajuda, se distancia e tenta dar conta de tudo e todos ao mesmo tempo.

Isso cria um nível de sobrecarga gigantesco e muito difícil de controlar.

 

Preocupação excessiva com o julgamento alheio:

Eles se preocupam muito com o que os outros pensam de seu desempenho e procuram constantemente aprovação e validação.

O medo de ser mal visto ou de não receber a aprovação alheia é um fantasma que assombra inúmeros perfeccionistas por aí, afinal todos querem receber o reconhecimento certo.

Não é à toa que trabalham tanto para isso.

 

Dificuldade em lidar com o fracasso:

O fracasso é particularmente difícil para os perfeccionistas, e eles podem se abalar profundamente quando não atingem seus padrões autoimpostos.

Quando erram, acabam se sentindo extremamente mal, como se tivessem falhado não só com eles mesmos, mas com o mundo inteiro.

É como se cada tarefa tivesse um peso gigantesco sempre, fazendo com que o perfeccionista sofra consideravelmente ao não conseguir atingir os padrões esperados.

perfeccionismo

 

Quais os problemas que o perfeccionismo excessivo causa?

Os perigos do perfeccionismo são significativos e podem afetar profundamente a saúde mental e o bem-estar das pessoas.

A busca implacável pela perfeição frequentemente resulta em altos níveis de ansiedade e estresse, causando problemas físicos e emocionais, como insônia, dores de cabeça e síndrome de burnout.

A autocrítica constante e o medo do fracasso podem levar à depressão, uma vez que os perfeccionistas frequentemente sentem que nunca estão à altura de seus próprios padrões inatingíveis.

Além disso, o perfeccionismo pode prejudicar os relacionamentos interpessoais, uma vez que as pessoas perfeccionistas podem ser excessivamente críticas e exigentes com os outros, levando a conflitos e isolamento social.

Outro perigo do perfeccionismo é que ele pode levar à procrastinação, à medida que os perfeccionistas adiam tarefas por medo de não serem capazes de atender aos padrões elevados que estabeleceram para si mesmos.

Isso resulta em uma redução na produtividade e em sentimentos de culpa e frustração. 

Por fim, o perfeccionismo pode ser uma armadilha mental que impede o crescimento pessoal e o desenvolvimento saudável, pois as pessoas perfeccionistas muitas vezes evitam desafios, aprendizado e oportunidades devido ao medo do fracasso.

É fundamental reconhecer os perigos do perfeccionismo e buscar estratégias saudáveis para lidar com essa característica de personalidade.

 

Como parar de ser perfeccionista? Tratamentos para perfeccionismo excessivo

Parar de ser perfeccionista requer autoconhecimento, autocompaixão e a adoção de estratégias saudáveis para lidar com essa característica.

O primeiro passo é reconhecer que o perfeccionismo está causando impactos negativos na sua vida, como ansiedade, estresse ou isolamento social.

Em seguida, pratique a autocompaixão, permitindo-se cometer erros e aceitar suas imperfeições. Estabeleça metas realistas e flexíveis, em vez de padrões inatingíveis, e lembre-se de que o fracasso é uma parte natural do aprendizado e do crescimento. 

Buscar apoio de amigos, familiares ou um profissional de saúde mental pode ser benéfico para entender e enfrentar o perfeccionismo.

Quando o perfeccionismo atinge níveis excessivos e prejudica significativamente o bem-estar de alguém, a terapia pode ser uma abordagem eficaz.

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) é frequentemente usada para tratar o perfeccionismo.

Através da TCC, as pessoas aprendem a identificar e modificar padrões de pensamento disfuncionais, substituindo-os por pensamentos mais saudáveis e realistas.

Além disso, a terapia pode ajudar os indivíduos a desenvolver estratégias de enfrentamento saudáveis, gerenciar a ansiedade e estabelecer metas de vida mais equilibradas.

Em alguns casos, a terapia medicamentosa, como os antidepressivos, pode ser recomendada para tratar os sintomas relacionados ao perfeccionismo, como a ansiedade e a depressão.

 

O que a psicologia fala sobre perfeccionismo?

A psicologia aborda o perfeccionismo como um traço de personalidade que envolve a busca implacável pela excelência e pela conformidade com padrões extremamente altos. 

Embora o perfeccionismo possa ser visto como uma qualidade em algumas situações, a psicologia reconhece que, quando levado ao extremo, pode ter impactos significativamente negativos na saúde mental e no bem-estar emocional das pessoas.

O perfeccionismo é frequentemente associado à ansiedade, depressão, estresse crônico e problemas de relacionamento.

A psicologia procura entender as origens do perfeccionismo, que podem incluir fatores genéticos, sociais e ambientais, e desenvolve estratégias de tratamento para ajudar as pessoas a lidar com esse traço de personalidade de maneira mais saudável.

A psicologia também enfatiza a importância do autoconhecimento e do desenvolvimento de estratégias de enfrentamento saudáveis para superar os desafios do perfeccionismo. 

Terapia psicológica, como a terapia cognitivo-comportamental, é frequentemente usada para ajudar as pessoas a identificar e modificar padrões de pensamento disfuncionais associados ao perfeccionismo, bem como desenvolver habilidades de enfrentamento para reduzir a ansiedade e o estresse relacionados a esse traço.

Em última análise, a psicologia fornece uma compreensão abrangente do perfeccionismo e oferece orientação e tratamento para aqueles que desejam encontrar um equilíbrio mais saudável entre a busca pela excelência e o bem-estar emocional.

Se você se identifica com alguma parte que citamos aqui neste artigo, não deixe de procurar a ajuda certa!

Aqui, na Psicotér, nós contamos com os profissionais certos para te prestar o suporte e o cuidado necessário no através do processo terapêutico!

Entre em contato com a nossa equipe para marcar a sua Consulta VIP!

Texto de: Luísa de Oliveira – redatora da Equipe Psicotér

Aprovado por:

Lisiane Duarte

Lisiane DuarteFundadora da Psicotér, CEO e Diretora Técnica, Psicóloga Cognitivo-Comportamental, completamente apaixonada pelo ser humano, realizada e privilegiada por poder participar da transformação de vidas. Experiência de mais de 20 anos de atuação clínica e empresarial. Psicoterapeuta individual e em grupo de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casal e família, online e presencial, pós-graduada em Gestão do Capital Humano. Consultora de recolocação profissional desde 2003, capacitando e orientando profissionais em transição de carreira na busca de novas oportunidades. Também consultora em diversas empresas nacionais e multinacionais, nas diversas áreas de RH, atendimento e avaliação psicológica de profissionais.

Gostou? Compartilhe

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus

    Se identificou com o assunto deste post?

    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*

    Seu e-mail*

    Seu telefone

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *