Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
Rua Esteves Júnior, 50, Sala 404 - Florianópolis
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Ansiedade não é frescura: Entenda os motivos e como tratar

Ansiedade não é frescura

O transtorno de ansiedade tem ganhado cada vez mais espaço dentro das rodas de conversa e do dia a dia das pessoas.

No entanto, diferente do que se imagina, não se trata de um problema novo!

Essa é uma questão que permeia diversas gerações, tirando o sono de muita gente há bastante tempo.

A única diferença é que, agora, o mundo se encontra em outro lugar: em um espaço onde os transtornos mentais e as dores emocionais são realmente vistas e pautadas como deveriam.

No entanto, nem todo o cenário é agradável para tratar dessas questões.

Muitas pessoas ainda enxergam transtornos como preguiça, mentira ou invenção.

Pensando nisso, elaboramos esse artigo para te mostrar que ansiedade não é frescura! Acompanhe até o final para ficar por dentro dessas questões sérias e muito mais!

 

Porque dizem que ansiedade é frescura?

Os maiores motivos pelos quais as pessoas costumam assumir que a ansiedade é frescura são: desinformação e preconceito.

Como já citamos, o mundo realmente caminhou muito na direção desses assuntos mais delicados, permitindo discussões produtivas sobre dores internas e confusões emocionais, por exemplo.

A grande questão é que isso nem sempre acontece, especialmente quando falamos de gerações anteriores.

Quem é jovem e precisa lidar com as angústias do amadurecimento, as mudanças ao redor, as relações, o estudo, os diferentes tipos de pressão, entre outros, tem fortes chances de desenvolver a ansiedade.

O problema é identificar e trazer isso para dentro do núcleo família, por exemplo.

Isso porque muitos pais, avós, tios e pessoas mais velhas têm dificuldades em reconhecer a ansiedade como um transtorno real e grave.

Ainda que o jovem tente dialogar ou busque por algum acompanhamento, o ambiente da casa ainda segue extremamente hostil por entender a ansiedade como frescura.

Isso é muito difícil para uma pessoa que está enfrentando o período da adolescência e que precisa contar com o apoio durante crises, dores e conflitos internos.

Mas, então, sigamos para o grande questionamento deste tópico:

O que faz uma pessoa ou um grupo negar a existência e o problema da ansiedade como um todo? O que permite essas pessoas assumirem que a ansiedade é frescura?

Inicialmente, podemos entender o problema como um conflito de gerações.

Muitas pessoas que hoje são pais e mães ou responsáveis pela vida de um filho não tiveram, em suas juventudes, a devida abordagem ou acolhimento para as suas próprias questões emocionais.

Isso aconteceu, pois o mundo ainda não tratava abertamente dessas situações, que dirá falar sobre e cuidar de pessoas com os sintomas.

Portanto, o primeiro reflexo de qualquer um com esse contexto de criação é negar a existência de problemas como a ansiedade.

É aí que entra a lógica do preconceito e da desinformação, afinal não buscam conhecer o problema e, além de tudo, criam uma aversão a ele.

Apesar disso, é importante frisar que não são apenas as gerações mais velhas que apresentam esse problema!

Muitos jovens também podem não entender o que são e qual o tamanho desses problemas… Ainda que vários acabem enfrentando a ansiedade ao longo da vida, por exemplo.

Não é incomum encontrar pessoas que tenham dificuldades em nomear suas limitações e irregularidades emocionais, especialmente em um mundo tão tecnológico e cheio de informações simultâneas.

Por esse motivo, muitas entendem os transtornos como algo inexistente.

Porém, nós estamos aqui para te mostrar que ansiedade não é frescura! É, na verdade, um problema grave que pode atingir crianças, adolescentes, adultos e até idosos de formas inimagináveis.

 

Por que ansiedade não é frescura?

 

Por que ansiedade não é frescura?

Você deve estar se perguntando, então, por qual motivo não devemos considerar a ansiedade drama ou frescura…

A resposta, na realidade, é muito simples: porque ela é perigosa para você, sua mente e até suas relações.

Toda e qualquer sensação destrutiva em grande quantidade pode acabar provocando sérios problemas na nossa vida social, mas também na nossa organização interna.

Com a ansiedade excessiva não é diferente!

Ela nos tira completamente do eixo, nos deixando constantemente nervosos, tensos, preocupados, com o sono desregulado e sérios problemas de concentração.

Isso atrapalha a rotina de qualquer pessoa, mesmo daquelas que já encontram problemas de foco naturalmente.

Além disso, a ansiedade não permite que as pessoas consigam estabelecer relações totalmente saudáveis, afinal há muita desconfiança, medos e inseguranças também.

É algo que pode se agravar com o tempo, fazendo com que a pessoa se feche aos poucos e até possa desenvolver outros transtornos mais graves, como sintomas da depressão.

Seja como for, as dinâmicas da pessoa com os sintomas ficam extremamente bagunçadas, fazendo com que ela crie a necessidade de um acompanhamento psicológico urgente para lidar com os obstáculos.

Daí a necessidade de reafirmar que a crise de ansiedade não é frescura e sim um problema a ser encarado e trabalhado ao lado de um profissional.

Ansiedade não é frescura

 

O que fazer para ansiedade não atacar?

Outro grande problema que muitas pessoas encontram através do tempo, enquanto lidam com as dificuldades da própria ansiedade, é a negação dos outros em relação às crises que acontecem.

Então, além de ser extremamente difícil administrar seus sentimentos destrutivos e as possíveis crises, a pessoa ainda precisa lidar com a invalidação daqueles que não entendem o seu funcionamento.

E isso não colabora nem um pouco para os momentos em que a ansiedade se excede.

Ou seja, se você busca evitar ter crises, é interessante começar a trabalhar ela com as pessoas ao seu redor, ainda que muitas tenham uma certa resistência.

Isso porque a ansiedade é parte de você e ignorá-la não fará com que o problema suma.

Informar amigos, familiares e pessoas próximas é necessário, justamente, para que elas saibam como agir diante de uma futura crise.

Fazer isso te trará mais segurança e diminuirá o nervosismo, aliviando até mesmo a quantidade de crises.

Outro ponto importante para conviver melhor com o transtorno é diminuir o uso de estimulantes, como café, energéticos e açúcares, no geral. Essas são coisas que potencializam a sua agitação e, logo, a ansiedade.

Nem sempre é fácil cortar esse tipo de consumo, especialmente quando estamos tão acostumados… Mas acredite: faz toda a diferença!

Investir em uma rotina de exercícios, ainda que seja por dez ou quinze minutos por dia, ajuda a manter a sua energia equilibrada, além de deixar seu corpo em constante movimento.

Isso dá vantagens tanto para a saúde física, quanto mental.

Embora seja delicado, é importante tentar mudar a rotina, afinal a ansiedade se instala nos intervalos de maior estresse e tensão. Talvez, reverter o cenário possa ser vantajoso para diminuir a intensidade das crises.

Manter a mente ocupada, conversar e racionalizar os problemas que geram medo e insegurança também são ótimos jeitos de trabalhar o transtorno, afinal você vai, aos poucos, se desfazendo daquilo que te engatilha.

Nem sempre é fácil, mas com a ajuda de um profissional da saúde mental, como um psicólogo e um médico psiquiatra, é possível melhorar extensivamente as suas dificuldades com a ansiedade.

Isso porque ele irá analisar, questionar e guiar a sua situação da melhor forma, prezando por um tratamento personalizado e adequado à sua situação.

Ansiedade não é frescura

 

Tipos de ansiedade:

Ao refletir sobre a ansiedade, há quem pense no mesmo padrão, nas mesmas reações e dores que vemos nas mídias, na internet e semelhantes.

Mas saiba que nem sempre é assim, viu?

Diferente do que se imagina, o transtorno de ansiedade pode se manifestar de várias formas nas pessoas, afinal cada uma tem o seu próprio contexto emocional, suas próprias dores e formas de manifestar isso.

E, além disso, há também diferentes tipos de ansiedade, com sintomas diversos e meios de serem identificados, sabia?

Listamos alguns aqui para que você tenha conhecimento das possibilidades:

 

TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada)

Esse é o tipo mais comum de ansiedade, sendo aquele que vem de encontro com diversos sintomas físicos e extremamente aparentes.

Geralmente, ele envolve uma preocupação constante, deixando a pessoa refém de eternas inseguranças e medos de que algo vá dar errado.

Seus sintomas envolvem tensão muscular, suor excessivo, falta de concentração e foco, além do claro descontrole emocional.

 

Mutismo Seletivo

O mutismo seletivo atinge a parte da sociabilidade da pessoa, fazendo com que ela tenha grandes dificuldades de estabelecer conversas ou manter contato com as pessoas.

Os sintomas desse tipo de ansiedade incluem o isolamento, a dificuldade de se relacionar, problemas de comunicação, medo de espaços cheios e semelhantes.

É um tipo tratável, mas que atrapalha muito a dinâmica da pessoa nas suas relações.

 

Agorafobia

Esse é outro tipo de ansiedade que é engatilhado em pessoas com medos de espaços sem escape.

Geralmente, pessoas com esse problema evitam ao máximo grandes multidões, shows, lugares muito fechados ou de difícil acesso.

Elas desenvolvem esse problema através do tempo e muitas vezes até mesmo por conta de um trauma. E então, passam a ter sérias dificuldades em lidar com essa nova limitação.

 

Fobia Social

Outro tipo de ansiedade extremamente comum, a fobia social está relacionada à dificuldade de se relacionar e o medo de ser julgada por alguém.

Mesmo sendo muito confundida com traços de timidez, é uma parte importante do espectro da ansiedade, fazendo com que muitas pessoas tenham suas vidas travadas por conta dela.

Os sintomas são semelhantes ao Mutismo Seletivo, fazendo com que a pessoa se feche, evite contatos e locais muito movimentados.

 

Outros tipos…

Como já dissemos anteriormente, a ansiedade carrega um espectro realmente grande, quando o assunto é os seus tipos.

Nós listamos alguns aqui, mas você pode conhecer outros mais detalhadamente em nosso blog: “Tipos de Ansiedade”!

Lá, cada tipo está classificado e descrito de maneira objetiva para que você entenda como funciona a cabeça de um ansioso.

 

Tratamentos para ansiedade

Tratamentos para ansiedade

Os tratamentos para ansiedade contam com muitas possibilidades, mas hoje estamos aqui para te falar sobre o tratamento mais eficaz e certeiro para esse problema: a psicoterapia!

Com ela, você consegue superar as limitações de qualquer tipo de ansiedade, desde os mais levianos, até os mais graves.

Isso porque o psicólogo se colocará disponível para analisar, te ajudar e refazer as inseguranças que existirem por conta da ansiedade.

Pode parecer difícil no início, afinal é preciso ter muita paciência e força de vontade para conseguir atingir os resultados esperados.

No entanto, ao lado do terapeuta tudo fica mais fácil, já que ele te dá suporte e permite que você possa seguir o acompanhamento no seu ritmo.

Se você sente que sofre com a ansiedade ou conhece alguém que pode estar passando por isso, não deixe de buscar ajuda!

A psicoterapia faz a diferença, ainda que a sua ansiedade seja leve!

Na Psicotér, você vai encontrar as profissionais certas para o seu caso, te ajudando a desvendar seus medos e a superar suas limitações.

Entre em contato com a nossa equipe de atendimento para garantir a sua Consulta VIP!

Texto de: Luísa de Oliveira – redatora da Equipe Psicotér

Aprovado por:

Lisiane Duarte

Lisiane DuarteFundadora da Psicotér, CEO e Diretora Técnica, Psicóloga Cognitivo-Comportamental, completamente apaixonada pelo ser humano, realizada e privilegiada por poder participar da transformação de vidas. Experiência de mais de 20 anos de atuação clínica e empresarial. Psicoterapeuta individual e em grupo de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casal e família, online e presencial, pós-graduada em Gestão do Capital Humano. Consultora de recolocação profissional desde 2003, capacitando e orientando profissionais em transição de carreira na busca de novas oportunidades. Também consultora em diversas empresas nacionais e multinacionais, nas diversas áreas de RH, atendimento e avaliação psicológica de profissionais.

 

Gostou? Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus




    Se identificou com o assunto deste post?


    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*
    Seu e-mail*
    Seu telefone

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.