Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Transtorno de Aversão Sexual: O que é, Causas e Tratamento

transtorno de aversão sexual

Pouco conhecido entre as pessoas, o Transtorno de Aversão Sexual nada mais é que um distúrbio que afeta diretamente as relações íntimas e interpessoais de quem sofre com ele.

Esse transtorno consiste na grande aversão a atividades sexuais, distanciando a pessoa do contato mais íntimo e de qualquer relação que possa haver alguma conotação sexual.

É claro que, como qualquer transtorno, ele é caracterizado por uma série de sintomas que podem mexer e muito com a qualidade de vida de uma pessoa, fazendo com que ela se feche para relacionamentos variados.

Nem sempre se fala sobre esse tipo de distúrbio, afinal qualquer assunto do espectro da sexualidade ainda é visto como um enorme tabu em nossa sociedade.

De qualquer forma, isso não diminui o tamanho da gravidade dos transtornos que rodeiam esse espectro. Por esse motivo, é tão necessário falarmos sobre eles!

Pensando nisso, desenvolvemos este artigo para você: nele, vamos te contar o que é o transtorno de aversão sexual, como ele está relacionado às nossas relações e à nossa saúde mental! Acompanhe!

 

O que é o transtorno de aversão sexual?

O transtorno de aversão sexual nada mais é que uma condição psicológica que cria bloqueios e uma intensa aversão a todo e qualquer ato sexual, desde coisas mais simples, sugestivas, até o sexo em si.

Pessoas que convivem com esse distúrbio costumam lidar com muitas ondas de ansiedade, desconforto, pânico e insegurança.

Por ser uma condição psicológica, é totalmente inconsciente e faz com que a pessoa sofra muito, principalmente em relações. Afinal, ela ainda é capaz de se apaixonar e se relacionar, porém com fortes dificuldades na parte sexual.

Nem sempre as pessoas conseguem dissociar o sexo dos relacionamentos, mas é importante lembrar que a sexualidade é somente um pedaço desse quebra-cabeça.

Sem dúvidas, é uma peça importante! No entanto, precisamos reforçar que hoje diversos tipos de relacionamento existem e não é em todos que o sexo faz parte.

 

Causas da aversão sexual

As causas da aversão sexual, do medo do sexo ou da insegurança podem ser as mais variadas possíveis!

Muitas vezes, elas podem estar relacionadas ao passado da pessoa, traumas ou problemas que foi desenvolvendo ao longo do tempo.

Pensando nisso, listamos a seguir algumas das causas mais comuns para a aversão sexual e ausência do prazer sexual nas relações:

 

Causa 1: Traumas do passado

A história de uma pessoa pode falar e muito sobre ela, afinal os acontecimentos do passado formam muito do nosso caráter e da nossa personalidade de hoje em dia.

Pessoas que já sofreram com abuso sexual, principalmente mulheres, podem facilmente criar gatilhos relacionados ao sexo, tentando se distanciar ao máximo de qualquer tipo de contato.

Não é incomum ver pessoas que possuem aversão ao toque, aversão ao beijo ou ao contato com o parceiro por conta de situações de seu passado.

A grande realidade é que o abuso sexual infantil e a aversão sexual andam lado a lado, pois uma situação pode ser uma enorme causa da outra.

 

Causa 2: Acúmulo de questões psicológicas

Pessoas que convivem com acúmulos emocionais como excesso de estresse, ansiedade ou depressão podem acabar desenvolvendo a aversão a relacionamentos ou até mesmo a própria aversão sexual.

Não é incomum que isso aconteça, porque a pessoa está tão sobrecarregada com medos e tensões, que acaba deixando que isso fale mais alto do que seus próprios desejos e fantasias.

É muito triste, porque é como se seus transtornos e os abalos na sua saúde mental se sobressaíssem às suas vontades pessoais.

 

Causa 3: Condições fisiológicas

Não é possível ignorar que o nosso corpo também pode ter as suas questões e suas próprias limitações.

Existem diversos problemas que podem criar esse bloqueio sexual, como a anorgasmia, o vaginismo, a ejaculação precoce, dispareunia e assim por diante.

A grande realidade é que o nosso corpo fala e nós precisamos aprender a ouvir, principalmente quando se trata da nossa intimidade: algo que só pode ser notado por nós mesmos.

Pode parecer um grande tabu, mas é um tema que necessita da nossa atenção!

transtorno de aversão sexual

 

Distúrbio de Aversão Sexual x Abstenção

O Transtorno de Aversão Sexual ou o Distúrbio de Aversão Sexual nada tem a ver com a abstenção voluntária do sexo!

Muitas pessoas acabam optando pela não prática sexual, algo que pode ser muito diferente para os outros, mas é uma opção de estilo de vida.

Há quem escolha isso por uma questão de religião, crença ou pela simples falta de vontade de manter esse tipo de relacionamento com outras pessoas.

No caso da abstenção, estamos falando de uma escolha voluntária. Enquanto que o transtorno representa algo muito maior: um medo, um pânico ou um resquício de algum problema do passado.

É extremamente importante saber identificar cada um deles separadamente, afinal estamos falando sobre algo que precisa de um acompanhamento profissional de um lado e de algo completamente normal do outro.

 

O Transtorno de aversão sexual é uma fobia?

Apesar de lidar com muitas evitações, medos e ansiedades, como a fobia, o transtorno de aversão sexual não se configura como uma.

A verdade é que aversão pode ter raízes mais profundas em questões emocionais e psicológicas complexas, diferindo das fobias mais tradicionais.

Por esse motivo, é considerado um transtorno: um problema com raízes fortes que podem e merecem ser cuidadas de perto através de um profissional da saúde mental, um psicólogo.

Nem sempre as pessoas conseguem entender o tamanho da gravidade, mas é exatamente por esse motivo que estamos aqui hoje!

 

Aversão sexual tem cura? Veja tratamentos

A aversão sexual ou o distúrbio de aversão sexual pode ser totalmente tratado através da terapia sexual, uma modalidade de terapia que explora as dificuldades de intimidade e de relacionamento que as pessoas podem desenvolver ao longo da vida.

Todo mundo já enfrentou alguma situação mais limitante no sexo, afinal estamos falando de um momento de enorme vulnerabilidade e que envolve uma grande quantidade de dúvidas e tabus.

É exatamente para isso que a terapia sexual existe: sanar dúvidas, eliminar medos, diminuir tensões e melhorar a autoestima na cama.

Isso não significa que a pessoa precisa se expor desde a primeira sessão! Muito pelo contrário!

A ideia da terapia sexual é criar um ambiente confortável de diálogo e trocas produtivas com a ajuda de um profissional para melhorar seus relacionamentos, inclusive a relação consigo mesmo!

 

Perguntas Frequentes sobre Aversão Sexual

O Transtorno de Aversão Sexual pode gerar muitas dúvidas nas pessoas, principalmente por parecer uma ideia distante: o medo ou o nojo de sexo, por exemplo. 

Dessa forma, hoje vamos responder também algumas das dúvidas mais comuns relacionadas a esse tema, acompanhe:

 

É normal sentir nojo de homem?

Essa é uma pergunta que pode estar muito relacionada à experiências pessoais vividas com figuras masculinas ao longo da vida.

Nenhuma aversão é inata, a grande verdade é que nossa forma de agir e reagir ao mundo é algo que é totalmente construído através do tempo, por esse motivo é tão importante ficar atento a forma como isso se dá.

Sentir nojo ou aversão de algo com tanta força é algo que merece ser investigado, pois pode ter um passado sombrio e pesado que justifique essa situação.

Infelizmente, isso pode nos colocar em situações desconfortáveis, mas é importante fazer o processo da investigação para tratar essa repulsa ou bloqueio sexual.

 

Porque sinto raiva quando meu marido me toca?

Novamente, uma situação que pode estar totalmente relacionada ao passado ou a questões emocionais mal resolvidas.

Nossa mente e nosso corpo trabalham com reações em cadeia, ou seja, se essa raiva acontece no momento do toque, pode ser que haja um motivo totalmente escondido por trás: um conflito, um rancor, uma memória ruim ou até mesmo um gatilho.

Todas as possibilidades podem e devem ser investigadas nesses casos, pois a saúde do relacionamento pode estar sendo prejudicada com essa situação e ninguém merece isso em um casamento, por exemplo.

 

É normal sentir aversão a beijo e ao toque?

Assim como as pessoas costumam gostar mais de uma comida ou de certas músicas, as preferências em relação ao contato físico podem variar muito!

Algumas pessoas têm uma maior sensibilidade ao toque, enquanto outras buscam ativamente a intimidade física como expressão de afeto.

A realidade é que isso pode variar muito por conta de gosto ou históricos, por exemplo. 

Portanto, é normal que as preferências em relação a beijos e toques variem consideravelmente.

No entanto, ter uma total aversão ou pânico já muda totalmente o cenário! Significa que algo sério pode estar acontecendo, o que merece receber o olhar certo.

Veja também: Não Sinto Vontade de Ter Relação Sexual: 4 Motivos e Como Resolver

 

transtorno de aversão sexual

 

Como lidar com a aversão sexual em um relacionamento?

A aversão sexual em um relacionamento pode ser um desafio dos grandes, mas enfrentá-la de maneira aberta e colaborativa pode fortalecer os vínculos emocionais ainda mais.

A base para superar a aversão sexual em um relacionamento é uma comunicação aberta e empática.

Ambos os parceiros podem e devem se sentir à vontade para expressar suas emoções, preocupações e necessidades. 

Trata-se de estabelecer um ambiente seguro para compartilhar sentimentos, afinal esse é o primeiro passo para encontrar soluções juntos. 

Mas nem sempre sabemos fazer isso sem a ajuda certa, por esse motivo contar com a terapia sexual ou a TCC – Terapia Cognitivo Comportamental pode ser ótimo para lidar com essas dificuldades e bloqueios.

Você sente que lida com isso constantemente? Que tal contar com a ajuda de quem entende?

Entre em contato com a Equipe Psicotér para te ajudar nesse processo!

Texto de: Luísa de Oliveira – redatora da Equipe Psicotér

Aprovado por:

Lisiane Duarte

Lisiane DuarteFundadora da Psicotér, CEO e Diretora Técnica, Psicóloga Cognitivo-Comportamental, completamente apaixonada pelo ser humano, realizada e privilegiada por poder participar da transformação de vidas. Experiência de mais de 20 anos de atuação clínica e empresarial. Psicoterapeuta individual e em grupo de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casal e família, online e presencial, pós-graduada em Gestão do Capital Humano. Consultora de recolocação profissional desde 2003, capacitando e orientando profissionais em transição de carreira na busca de novas oportunidades. Também consultora em diversas empresas nacionais e multinacionais, nas diversas áreas de RH, atendimento e avaliação psicológica de profissionais.

Gostou? Compartilhe

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus

    Se identificou com o assunto deste post?

    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*

    Seu e-mail*

    Seu telefone

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *