Marker
relógio Seg a Sex dàs 7h às 22h - Sáb dàs 7h às 12:30h
(51) 9 9833-8006
(51) 4100-2513

Será que você está vivendo uma relação tóxica? Liberte-se! 

Publicado em 10 de dezembro de 2020
Categoria: casamento, Psicoterapia de casal, Relacionamentos

Nos últimos anos, o tema “relação tóxica” vem sendo abordado extensivamente, sob pontos de vista variados. Podemos encontrar muitos posts sobre relacionamentos tóxicos/abusivos, sejam eles familiares, de amizade ou românticos. Nesse sentido, vemos uma onda de postagens sobre a superação desses relacionamentos, destacando que devemos nos libertar das pessoas tóxicas para vivermos com mais leveza e tranquilidade.

Muitas pessoas descobriram que tinham vivido ou estavam vivendo uma relação tóxica graças aos relatos compartilhados nas redes sociais. Por isso, é muito importante que esse assunto seja discutido com profundidade, para que cada vez mais as pessoas entendam o que são atitudes abusivas e como se livrar delas. Além disso, precisamos entender como construir um relacionamento saudável e equilibrado.

No entanto, muitas vezes as informações compartilhadas são rasas; são posts produzidos massivamente para conseguir engajamento, sem dar tanta importância à entrega de um conteúdo de qualidade. Isso faz com que as pessoas se cansem do tema sem ao menos entendê-lo, porque os posts se tornam repetitivos e não trazem nenhuma informação nova.

Nesse blog, nosso objetivo é explorar os comportamentos tóxicos que geralmente são reproduzidos por homens em relacionamentos românticos. Isso não quer dizer, porém, que mulheres não podem ser tóxicas; essa é apenas a abordagem que escolhemos trazer nesse texto, e você pode adaptar os exemplos para aplicá-los à sua realidade.

Qual é a origem dos comportamentos tóxicos?

Vamos voltar no tempo juntos. Durante a infância, muitas meninas são importunadas por meninos com puxões de cabelo, empurrões, piadas e xingamentos. Isso costuma acontecer na escola, muitas vezes em sala de aula, atrapalhando a concentração e causando um grande transtorno.

Quando cansam e decidem reclamar com um professor, coordenador ou com seus pais, geralmente escutam a frase: “não dá bola, ele te incomoda porque gosta de você”. 

Esse tipo de situação exemplifica a origem de um comportamento tóxico que pode evoluir para uma relação abusiva na vida adulta. Isso porque os homens são ensinados que importunar, perseguir e até agredir também são formas de demonstrar carinho.relações tóxicas

Não estamos dizendo que meninos que fazem piadinhas vão, obrigatoriamente, se tornar homens que cometem violência doméstica. A proposta é pensarmos em como estimular esses comportamentos pode criar uma noção distorcida do que são formas saudáveis de expressar afeto. Precisamos refletir: por que não ensinamos os meninos a demonstrar interesse com declarações afetuosas, presentes, elogios e carinho? Por que insistimos em ensiná-los a reprimir suas emoções e expressar afeto através da violência?

Além disso, esse comportamento também ensina as mulheres a naturalizar a violência. Nos acostumamos a ser importunadas, perseguidas e, em certo nível, agredidas. Assim, quando nos deparamos com alguns comportamentos tóxicos mais sutis em nossos relacionamentos, acabamos “passando pano” e deixando para lá. É importante pensarmos em como ensinamos as meninas a reagir à violência na infância, pois isso influenciará na forma como perceberão seus relacionamentos na vida adulta. 

Com isso, entendemos uma coisa importante. As relações tóxicas não envolvem só palavras e atitudes diretamente ofensivas; elas também compreendem comportamentos mais sutis, que perpassam a criação individual e as convenções sociais e precisam de uma reflexão mais profunda para serem desconstruídos.

 

Como saber se o seu relacionamento é tóxico

Para te ajudar a reconhecer atitudes que têm raízes tóxicas, separamos uma lista de comportamentos abusivos. Vamos explicar cada um desses itens, para que você entenda o que está por trás de cada atitude. Vem conferir com a gente:

1. “Prefiro você com/sem maquiagem” ou “você ficaria mais bonita se fizesse isso”

Muitas pessoas vão alegar que o parceiro tem o direito de dar uma opinião. Isso é verdade; mas existem formas de opinar sem prejudicar sua autoestima. Além disso, opinar de forma cuidadosa é diferente de te fazer sentir vergonha da sua aparência e de como age, fala e se veste, destruindo sua autoestima pouco a pouco. É preciso aprender a diferença entre a crítica construtiva, de quem quer te ver crescer, e a crítica destrutiva, de quem nunca está satisfeito e quer acabar com a sua autoestima para poder te controlar. 

2. Você está sempre pisando em ovos

Em alguns relacionamentos, precisamos ter cautela o tempo todo, pois qualquer coisa pode gerar uma discussão. Algumas pessoas encontram motivos para discutir nas coisas mais fúteis – nas suas roupas, nos seus amigos, nas suas palavras, nas fotos que posta em redes sociais…

A sensação é a de que você precisa ter muito cuidado com cada uma das suas ações, tentando manter o parceiro sob controle o tempo todo. Há um medo constante de que ele “exploda” e comece uma discussão em qualquer lugar. Geralmente, essas pessoas sentem prazer em te humilhar na frente dos seus amigos e família, e é comum que comecem a discutir no meio de algum evento, te obrigando a ir embora. 

3. “Não dá pra conversar contigo, você é louca!”

Esse tipo de frase sempre surge discussões, principalmente quando você está certa. O parceiro faz algo errado ou usa um argumento que não faz sentido e, quando você aponta o erro, é chamada de louca e manipulada até acreditar que realmente está errada. É comum que você comece a se convencer de que é paranoica e histérica e passe a dar a razão para o parceiro, desistindo de discutir. Se o seu parceiro te faz duvidar da própria sanidade mesmo quando ele está errado: corra!

4. Ele não fica feliz quando você atinge algum objetivo

Isso costuma acontecer com parceiros que agem como se fossem o centro do mundo. Eles não ficam felizes quando uma coisa boa te acontece; em vez disso, lamentam as próprias derrotas, sem nem te parabenizar pela conquista. Isso faz com que você sinta que seus sonhos não são tão importantes, e pare de se animar quando atinge alguma meta. Além disso, o parceiro pode te fazer pensar que não merece tudo o que conquistou, destruindo sua autoestima. 

5. “Isso é mimimi”

Sempre que você reclama de alguma atitude do parceiro ou de um problema pessoal, ele diminui seus sentimentos.

Os homens costumam aprender, desde a infância, a reprimir sentimentos; isso faz com que vejam a demonstração de algumas emoções, como tristeza, desânimo e insegurança, como algo negativo. Podem dizer que você é fraca ou que “as mulheres são muito emotivas”; isso te leva a reprimir seus sentimentos e escondê-los do seu parceiro, o que se transforma em exaustão emocional. 

6. Seu parceiro te faz pensar que ele é o único capaz de te amar

Ele aponta defeitos que nem sempre são reais e afirma que só ele consegue gostar de você dessa forma. Assim, destrói sua autoestima e te faz pensar que não é digna de afeto. Quando você pensa em terminar o relacionamento, desiste por pensar que nunca mais vai encontrar alguém que te ame. Isso acontece porque ele te convenceu de que você não tem nenhuma qualidade.

7. “Você é diferente da minha ex, ela era louca!”

Vamos pensar juntas: se o seu companheiro vive te chamando de histérica, você pode ser a próxima “ex louca”! Se você acha isso injusto, podemos concluir que talvez a “ex louca” só estivesse reagindo aos comportamentos dele. Muitos homens dizem que seus relacionamentos terminaram porque a ex era maluca, e esquecem de citar os próprios erros – mentiras, traições, ciúmes excessivos, possessividade…

É claro que alguns homens se relacionaram com mulheres tóxicas no passado, mas é importante investigar atentamente, pois é muito comum que eles estejam apenas tentando encobrir os próprios defeitos.

8. Seu parceiro te manipula quando você tenta terminar a relação

Essa manipulação pode acontecer de muitas formas. Entre elas, estão a ameaça de violência contra você e/ou sua família, ameaças de automutilação e tentativas de suicídio. Seu parceiro pode ameaçar se matar caso você o abandone, tentando te fazer permanecer no relacionamento por pena.

Ele também pode dizer que você não vai conseguir viver sozinha, seja por dependência emocional ou financeira. Aqui, volta a aparecer a frase “ninguém mais vai te amar além de mim”, usado para te deixar insegura e desistir do término por medo de nunca mais ser amada por outra pessoa. 

Clique na Imagem e conheça o nosso Pinterest!

 

Aqui, abordamos apenas alguns dos aspectos de relacionamentos abusivos, pois é impossível listar todas as nuances que indicam toxicidade. Mas já podemos ter uma ideia, a partir disso, do que são comportamentos tóxicos.

E aí, você já passou ou está passando por alguma dessas situações? Ou, partindo para a autorreflexão: será que você está se comportando de forma abusiva?

 

Deixar essas relações para trás é muito difícil… 

Muitas pessoas podem pensar que essas relações são normais. Isso acontece porque os homens são ensinados desde cedo a se comportar assim; e as mulheres, ensinadas a aceitar esses comportamentos. Na vida adulta, eles passam despercebidos, mesmo que deixem um buraco enorme na autoestima, na autoconfiança e no amor próprio.

Por isso, se livrar de relações tóxicas é muito difícil. Costumamos insistir, acreditando que sempre há um jeito de salvar o relacionamento. Sentimos medo da solidão, do fracasso e do que as pessoas vão pensar.

 

… Mas é preciso tratar a sua saúde mental como prioridade!

Antes de tudo, precisamos refletir: vale a pena continuar com alguém que está prejudicando sua saúde mental, só para não ficar sozinha?

Esse tipo de reflexão pode te ajudar a se livrar de relações nocivas. A princípio, pode ser difícil perceber como essas atitudes são tóxicas; é necessário muito autoconhecimento e ter um grande amor próprio.

 

Devo fazer terapia de casal?

Em alguns casos, a recomendação é procurar a terapia de casal antes de terminar o relacionamento. O seu parceiro pode estar reproduzindo comportamentos que aprendeu durante a vida, de forma inconsciente. Ou seja, ele precisa entender e refletir sobre suas atitudes para buscar a mudança.

Porém, é muito importante analisar a situação e pensar se vale a pena insistir no relacionamento enquanto espera que o seu parceiro mude de comportamento. Esse processo é longo e causa um grande impacto emocional. Não é fácil olhar para dentro e tentar mudar pensamentos que foram nutridos desde muito cedo, ainda mais quando eles são socialmente aceitos.

Assim, você deve se colocar em primeiro lugar e pensar se o seu companheiro está disposto a mudar. A atitude também deve partir dele, pois é impossível mudar alguém que não percebe que está errado. A terapia de casal irá estudar os problemas individuais e coletivos, buscando atingir uma comunicação mais assertiva e um equilíbrio na relação.

 

A psicoterapia pode te ajudar!

Se os comportamentos são muito graves e a pessoa não está disposta a mudar, a melhor coisa a se fazer é acabar com a relação. Nesse caso, a psicoterapia individual irá te ajudar a superar o término e voltar a se sentir digna de ser amada e respeitada.

O psicoterapeuta irá analisar a situação, levando em conta as particularidades do seu relacionamento. Além disso, te ajudará a lidar com questões mais profundas, como inseguranças, fobias, traumas e problemas de autoestima que podem estar te prendendo a relações abusivas. Como resultado, você vai voltar a enxergar o seu valor, perder o medo da solidão e conseguir se sentir bem consigo mesma. Afinal, quando você não se ama, é difícil identificar o que é um amor saudável. 

 

A Psicotér é uma clínica de psicólogas em Porto Alegre, que oferece psicoterapia individual e de casal, além de outros tipos de atendimento. As consultas podem ser realizadas presencialmente ou online, de acordo com a sua preferência.

Agende sua AVALIAÇÃO GRATUITA com uma das psicólogas da nossa equipe.

Gostou desse post? Visite o nosso blog para encontrar mais conteúdos, nos siga no Instagram e curta nossa página no Facebook para se manter informado!

 

Lisiane Duarte – CRP 07/12563
Psicóloga e Diretora Técnica da Psicotér


    Se identificou com o assunto deste post?
    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!


    Seu nome*
    Seu e-mail*
    Seu telefone

    Gostou? Compartilhe:

    Leia Também

    Deixe seu comentário