Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Síndrome do Pânico: O que é, Sintomas, Causas e Tratamentos

Síndrome do Pânico

Você já ouviu falar na síndrome do pânico? Sabe como ela funciona?

Essa é uma síndrome que tira o sono de milhares pessoas todos os dias, gerando crises constantes e picos de ansiedade alarmantes!

A Síndrome do Pânico se assemelha muito com o Transtorno de Ansiedade Generalizada e deve ser investigada para contar com o tratamento correto e eficaz.

Viver tentando mediar as suas próprias crises sem a ajuda correta pode gerar ainda mais problemas, por tanto é muito importante ter uma ideia geral dessa questão!

Venha conhecer os detalhes sobre a Síndrome do Pânico: como ela acontece, quais os principais gatilhos, como se prevenir e quais os tratamentos disponíveis para essa situação!

Acompanhe!

 

O que é síndrome do pânico?

Os ataques de pânico são uma reação comportamental do ser humano diante de uma situação que leve ao estresse extremo, medo e insegurança.

Além disso, junto com essa sensação de que vai morrer de um ataque cardíaco, a pessoa também sente alguns sintomas físicos.

São exemplos: o coração disparado, dores na nuca, sente falta de ar, mãos frias, pressão ou dor no peito, boca seca, sudorese, inquietação, palidez, insônia, tremores ou dor de barriga.

Como resultado, costuma causar um comprometimento significativo do funcionamento social ou ocupacional da pessoa, podendo gerar um acentuado sofrimento.

Muitas vezes os transtornos ansiosos começam na infância e quando não tratados, podem persistir até a vida adulta.

Síndrome do Pânico

 

Como diagnosticar ataques de pânico?

O diagnóstico da Síndrome do Pânico, como qualquer outro, precisa ser estabelecido por um profissional.

Isso porque ele irá diferenciar os sintomas da Síndrome de outros possíveis problemas, chegando ao resultado final e a um tratamento mais efetivo.

É necessário frisar isso, uma vez que muitas pessoas convivem com a ansiedade ou com questões cardíacas e acabam enfrentando crises eventuais, confundindo isso com a Síndrome do Pânico, por exemplo.

É preciso investigar de maneira minuciosa e ninguém melhor que um médico psiquiatra ou um psicólogo para fazer isso de maneira aprofundada.

 

Sintomas da Síndrome do Pânico

Os sintomas do ataque de pânico costumam variar entre físicos e psicológicos, elevando a pessoa a altos níveis de estresse e tensão.

Nós separamos os sintomas aqui em duas categorias para facilitar a visualização, mas saiba que quando o assunto é ataque de pânico, eles acabam acontecendo simultaneamente:

Sintomas físicos

  • Boca seca;
  • Mãos suadas;
  • Dores fortes de cabeça;
  • Enjoo;
  • Respiração acelerada;
  • Sudorese;
  • Dificuldade na fala;
  • Movimentos repetitivos;
  • Tremedeira;
  • Vontade de chorar;
  • Vontade de gritar;
  • Punhos cerrados;
  • Tensão muscular.

 

Sintomas psicológicos

  • Pensamentos acelerados;
  • Sensação de que tudo vai dar errado;
  • Medo;
  • Nervosismo;
  • Sensação de “quase morte”;
  • Pensamentos obsessivos;
  • Dificuldade de foco;
  • Memórias inconvenientes;
  • Sentimento de solidão;
  • Desespero ou preocupação.

 

Causas da síndrome do pânico

De modo geral, é impossível estabelecer causas específicas para a síndrome do pânico.

A verdade é que, hoje, especialistas entendem a Síndrome como uma descarga de diversos acúmulos na vida daquela pessoa, como: estresse, medo, uso abusivo de drogas ou medicamentos, consumo de álcool, descontrole emocional e tensões do dia a dia.

Em alguns casos específicos, traumas também podem ser considerados como importantes potencializadores dos ataques de pânico.

Síndrome do Pânico

 

Síndrome do pânico tem cura?

Com o tratamento correto, a síndrome do pânico pode ser controlada, sim!

É claro que se trata de um processo, em que a pessoa terá que passar por uma certa jornada de autoconhecimento, desbravando mais sobre o seu interior e entendendo por completo o funcionamento dos seus mecanismos de defesa.

Mas todo esse processo é facilitado a partir do momento em que essa pessoa encontra o suporte certo: a psicoterapia.

 

Pensamentos de quem tem ataque do pânico

Sensações físicas, pensamentos ansiosos e preocupação obsessiva são fatores que fazem parte do transtorno ou síndrome do pânico. Porém, temos os ataques de pânico, onde estes são mais isolados e de menor duração.

Durante um ataque de pânico, em geral de curta duração, a pessoa experimenta a nítida sensação de que vai morrer, ou de que perdeu controle sobre si mesma e vai enlouquecer.

Uma das questões que leva a um ataque de pânico é o sentimento de que a pessoa não possui controle sobre a sua própria vida. Muitas vezes situações cotidianas desencadeiam uma crise.

A ansiedade, depois de chegar a um nível constante e elevado, se torna um transtorno. Esses transtornos são divididos em alguns subtipos, de acordo com as situações que são gatilhos para os sentimentos de medo e preocupação.

Ao afetar o humor de uma pessoa, os seus pensamentos e comportamento, como resultado um transtorno de ansiedade pode tornar difícil a vida cotidiana seja em casa, no trabalho, na escola ou mesmo em momentos de socialização.

Quando a pessoa percebe que os sintomas não são reais, certamente o medo diminui e a possibilidade das crises também.

Se você sofre com a síndrome do pânico, saiba que não está sozinho.

A rainha do pop Madonna informou em uma entrevista que sofre de ataques de pânico antes dos shows. Isso ocorre mesmo após 25 anos de carreira. Tudo porque ela acredita que vai decepcionar o público.

 

Tratamento para síndrome do pânico

O tratamento da Síndrome do Pânico sempre é realizado pelo Psicólogo e pelo psiquiatra, pois o tratamento envolve medicação. Funcionam bem e isso faz com que as pessoas consigam retomar suas atividades sem medo, sem pânico.

A terapia cognitivo-comportamental ajuda, junto com a medicação, em “zerar” os sintomas de Transtorno do pânico (caso esse seja diagnóstico).

Quanto mais você compreender as etapas de uma crise — que ocorre antes, durante e depois — e sobre as reações e possibilidades, mais você terá um papel construtivo no tratamento do problema.

A psicoterapia ajuda a identificar problemas pessoais e até mesmo a reconhecer os gatilhos das crises. Isto porque facilita o autoconhecimento e, consequentemente, reduz os ataques de pânico.

Certamente, um psicoterapeuta será capaz de ajudá-lo a superar esse problema com relativa facilidade, é só você procurar ajuda.

Conte com a gente nesse processo! Entre em contato com a nossa equipe de atendimento e marque já a sua Consulta VIP!

Texto de: Luísa de Oliveira – redatora da Equipe Psicotér

Aprovado por:

Lisiane Duarte

Lisiane DuarteFundadora da Psicotér, CEO e Diretora Técnica, Psicóloga Cognitivo-Comportamental, completamente apaixonada pelo ser humano, realizada e privilegiada por poder participar da transformação de vidas. Experiência de mais de 20 anos de atuação clínica e empresarial. Psicoterapeuta individual e em grupo de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casal e família, online e presencial, pós-graduada em Gestão do Capital Humano. Consultora de recolocação profissional desde 2003, capacitando e orientando profissionais em transição de carreira na busca de novas oportunidades. Também consultora em diversas empresas nacionais e multinacionais, nas diversas áreas de RH, atendimento e avaliação psicológica de profissionais.

Gostou? Compartilhe

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus

    Se identificou com o assunto deste post?

    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*

    Seu e-mail*

    Seu telefone

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *