Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Pressão Social: O Que é e Como Lidar com Ajuda da Psicologia

pressão social

Sabe aquela ansiedade que sentimos na adolescência de pertencer a um grupo ou a tensão em manter amizades na vida adulta mesmo depois de muito tempo? O nome disso é pressão social!

Essa pressão nada mais é que a grande influencia do mundo ao nosso redor nos nossos círculos sociais.

Nós, enquanto sociedade, vivemos abaixo de uma grande quantidade de normas, expectativas, necessidades e vontades. Quando falamos sobre pressão social, estamos falando dos momentos em que nos sentimos tensionados ou obrigados a seguir com esses pilares existentes ao nosso redor.

Isso quer dizer que ao fugir dos padrões estamos cometendo um crime? É claro que não! Mas significa que podemos ficar expostos ao julgamento e ao tensionamento do nosso contexto social, o que de fato configura muita pressão.

Então, hoje, vamos te contar um pouco mais sobre a pressão social e como ela funciona, te mostrando como ela pode atuar desde muito cedo na vida das pessoas! Acompanhe até o final para não perder nada!

 

O que é pressão social?

A pressão social é aquilo que sentimos quando queremos sair do padrão esperado, seja nas nossas decisões de relacionamento, carreira, estilo ou o que quer que seja.

A pressão social parte do sentido de que vivemos em um mundo repleto de normas e expectativas, onde cada um de nós desempenhará um papel específico, esperado. O que isso significa?

Significa que tudo que fugir dessa trilha poderá ser julgado ou revisto pelas pessoas, afinal é uma fuga do que se considera “normal”.

E é exatamente aí onde mora a pressão social!

Tentamos desempenhar esses papéis da melhor forma possível: trabalhamos, nos relacionamos, postamos nas redes sociais, nos vestimos de acordo, tentamos nos encaixar… Tudo isso para não deixar que a pressão nos alcance!

O problema é que isso pode poder demais um indivíduo, fazendo ele fingir ser o que não é, caindo na infelicidade e nas constante autocomparação.

 

Causas da pressão social

As possíveis causas para toda essa pressão social pode estar relacionada a diversos fatores, ainda que o mundo esteja mudando e as normas que nos regem também.

Muito do que vivemos e conhecemos fica cristalizado no tempo, ainda que a gente negue. Padrões de comportamento, expectativas, oportunidades… Tudo ainda é muito atemporal, principalmente na vida de jovens adultos, por exemplo.

Construir uma vida, trabalhar, se relacionar, criar uma família, ter sucesso e dinheiro são questões que ainda reverberam na vida de boa parte da população, afinal é o que se espera que todos façam antes de morrer. No entanto, todo esse discurso acaba sendo um enorme gerador da pressão social.

Normas culturais e sociais são os caminhos mais certeiros em direção a essa pressão, porque no fim do dia, o que todos nós buscamos é um pouco de afeto, aceitação e conforto. Não é possível viver de maneira sã se não sentirmos que estamos caminhando para esse lado e, aí, novamente vamos de encontro com a pressão de alcançar aquilo que todos almejam.

Outro fator que também inclui a nossa sociedade como um todo é a pressão familiar, as expectativas que surgem dentro de casa. Essa é, de longe, uma das maiores formadoras de adultos ansiosos hoje em dia.

Crescemos querendo dar orgulho, querendo receber o suporte e o afeto daqueles que nos criaram, mas a que custo isso acontece? Quando as expectativas dos pais e responsáveis entram no jogo, é muito difícil aprender a lidar e colocar limites. Esse é outro enorme causador da pressão social.

Por fim, mas não menos importante, tudo nos leva a ele: o medo da rejeição. Como já dissemos anteriormente, essa é uma questão que assombra as pessoas desde muito cedo, pois nós somos seres sociais: queremos ser aceitos, queremos pertencer.

Isso muito tem a ver com validação e a necessidade de sermos vistos como pessoas agradáveis, sabia?

 

Pressão social na adolescência

Talvez o nosso primeiro contato com a pressão social seja durante o período da adolescência.

Diferentemente da infância, onde as crianças conseguem entender todos como igual e têm uma inocência no que diz respeito à sociedade, a adolescência pode ser um prato cheio para essa problemática.

É nesse período que as caixinhas sociais começam a aparecer: ser legal, descolado e admirado se torna a prioridade número um. Os jovens passam a se cobrar e a elevar seus comportamentos ao extremo para serem notados, validados, aplaudidos ou simplesmente amados.

Isso muito tem a ver com a geração das redes sociais que prolifera fortemente esse tipo de comportamento, aumentando os gatilhos para a autocomparação e para a ansiedade de ser aceito.

De fato, o mundo tem mudado bastante e hoje  a autenticidade tem sido mais apreciada. Mas isso não diminui a pressão social no período da adolescência. Aqui, ainda estamos falando sobre corpo, sexualidade e descobertas, algo muito sensível e completamente ligado à pressão social.

 

Pressão social nos jovens

No cenário dos jovens adultos, as coisas mudam um pouco, mas não a intensidade.

Adentrar no mercado de trabalho, aprender a ser respeitado, aplaudido, reconhecido, fazer dinheiro, garantir conquistas, manter as relações em dia, permanecer ativo, disposto e produtivo. Quem aí nunca se identificou com essas necessidades?

O período entre os 18 e os 30 anos são intensos, completamente marcado por certas cobranças que, muitas vezes, surgem de casa.

Todo jovem adulto sente essa pressão social, ainda que alguns lidem melhor com ela do que outros.

A grande realidade é que no fim do dia, todos queremos alcançar nossos objetivos, mas é muito difícil fazer isso em um mundo onde todos parecem nos assistir pelas telas. É como se precisássemos provar nosso valor constantemente e isso pode ser cansativo ou até mesmo doloroso!

pressão social

Exemplos de pressões sociais

A pressão social pode se desdobrar em diferentes espaços, afinal nossa sociedade está em tudo e ela cobra! Portanto, vamos listar aqui alguns tipos de pressões sociais que nem sempre reconhecemos, acompanhe:

  • Conformidade Normativa
  • Conformidade Informacional
  • Pressão dos Pares
  • Pressão Familiar
  • Pressão Profissional
  • Pressão Cultural
  • Pressão da Mídia
  • Pressão Econômica
  • Pressão Social Online
  • Pressão de Gênero
  • Pressão Maternal

 

Como a pressão social se manifesta?

Assim como existem milhares de maneiras de interpretar a pressão social, saiba que existem diferentes formas para ela se manifestar também. Pode ser de um jeito coletivo ou muito individual, afinal estamos falando de diferentes circunstâncias e recortes sociais!

A maneira mais clara e mais atual que temos da pressão social hoje em dia é a conformidade comportamental. Como assim?

Quando um grupo de pessoas começa a se conformar com um novo padrão de comportamento. Um exemplo? A pressão estética.

Todos os dias, em nossas redes sociais, nas mídias, novelas e filmes vemos um endeusamento de figuras padronizadas ditas como “perfeitas”. Como qualquer grupo social, nos conformamos com a necessidade de buscar isso, então malhamos mais, tomamos remédios, mudamos a rotina, fazemos procedimentos estéticos e assim por diante.

Tudo para alcançar esse objetivo em comum. Algo que pode ser perigoso para a nossa saúde e nossas relações!

Outra forma muito comum de pressão social que tem ficado evidente hoje em dia é a necessidade de aprovação por parte da pressão familiar.

E o que isso resulta? Jovens cansados, mergulhados no Burnout com vinte e um anos, sem energia ou força de vontade. Tudo isso porque se elevam ao limite da coisa, se esgotando cada vez mais para se sentirem amados ou validados.

Por fim, mas não menos importante: uma pressão social que aparece muito na adolescência, mas na própria juventude também: a exclusão. Seja exclusão de minorias, de pessoas diferentes ou que fogem desse “padrão social”.

É um movimento agressivo e que pode acontecer de diversas formas: desde a ignorância até questões mais graves como a violência ativa.

 

Como a pressão social afeta a saúde mental? Veja as Consequências

A pressão social pode e afeta a saúde mental das pessoas diariamente, então como forma de alerta, nós iremos te contar aqui de que maneira isso acontece no cotidiano! Confira as principais consequências:

  • Estresse e Ansiedade: A pressão para atender às expectativas sociais pode gerar estresse constante e ansiedade. O medo de julgamento, rejeição ou desaprovação pode ser especialmente desgastante.

 

  • Baixa Autoestima: A comparação constante com os outros e a busca por padrões socialmente aceitáveis podem levar à baixa autoestima, à medida que as pessoas se sentem inadequadas ou insuficientes.

 

  • Depressão: A pressão social pode contribuir para o desenvolvimento de sintomas depressivos. A incapacidade percebida de atender a normas e expectativas pode resultar em sentimentos de desesperança e tristeza.

 

  • Isolamento Social: O medo de não se encaixar ou ser aceito pode levar ao isolamento social. As pessoas podem evitar situações sociais para evitar a pressão e o potencial julgamento.

 

  • Transtornos Alimentares: Padrões de beleza idealizados socialmente podem contribuir para distúrbios alimentares, como anorexia nervosa, bulimia e compulsão alimentar.

 

  • Burnout: A pressão para atender a expectativas profissionais e pessoais pode levar ao esgotamento, resultando em burnout. Isso pode afetar negativamente o desempenho no trabalho e a qualidade de vida.

 

  • Problemas de Sono: O estresse relacionado à pressão social pode interferir no sono, causando insônia, dificuldade em adormecer ou manter um sono reparador.

 

  • Problemas de Relacionamento: A busca constante por aprovação social pode afetar negativamente os relacionamentos, pois as pessoas podem se esforçar demais para agradar aos outros, perdendo de vista suas próprias necessidades e desejos.

pressão social

Como lidar com as pressões sociais?

Lidar com as pressões sociais todos os dias certamente não é uma tarefa fácil! Muitos de nós estão sempre presos a isso, mas não sabem como responder ou como se proteger de verdade disso. Por esse motivo, vamos listar aqui algumas maneiras para que você possa aprender a lidar com as pressões socias! Confira:

 

Criando autoconhecimento:

O autoconhecimento é um processo contínuo e profundo de compreensão de si mesmo. Envolve a exploração consciente de suas crenças, valores, interesses, fortalezas e áreas de crescimento.

Ao se aprofundar nessa jornada de autoconsciência, você ganha uma compreensão mais clara de suas motivações e aspirações. Isso não apenas ajuda a tomar decisões alinhadas com seus valores pessoais, mas também fortalece sua resiliência diante das pressões sociais.

Ao conhecer suas próprias necessidades e desejos, você se torna mais capaz de separar as expectativas externas das metas autênticas que deseja seguir!

 

Estabelecendo limites:

Estabelecer limites é uma habilidade social muito importante para preservar sua saúde mental e emocional em um mundo muitas vezes repleto de demandas e cobranças.

Essa habilidade diz respeito a capacidade de reconhecer e comunicar suas próprias necessidades, definindo claramente o que é aceitável para você e o que não é.

Isso não implica em isolamento, mas sim na criação de limites saudáveis que respeitem seu tempo, energia e bem-estar emocional.

Dizer “não” quando necessário é uma expressão poderosa de autocuidado, permitindo que você evite sobrecargas e mantenha o equilíbrio em sua vida.

 

Praticando a autoaceitação:

Aceitar-se como você é, com todas as suas imperfeições, é uma poderosa forma de reduzir a influência da pressão social.

Desenvolver uma mentalidade de autoaceitação significa reconhecer e abraçar suas falhas, entendendo que elas não definem sua identidade ou valor.

Ao cultivar essa atitude, você constrói uma base sólida para enfrentar as expectativas sociais, garantindo a autenticidade e a confiança em suas escolhas.

 

Como a psicologia ajuda a lidar com a pressão social?

Uma das ajudas mais significativas da psicologia é facilitar o autoconhecimento e a autoaceitação.

Ao rever perspectivas, motivações e a sua própria identidade, você passa a ganhar uma compreensão mais profunda de si mesmo, tornando-se mais capaz de resistir às influências externas.

A psicologia também trabalha no desenvolvimento da autoaceitação, te trazendo uma mentalidade positiva em relação às próprias características e imperfeições.

Isso não quer dizer que você irá aprender a se amar do dia para a noite, mas significa que é possível desbravar essas questões aos poucos, trabalhando nas suas dificuldades, ultrapassando os seus bloqueios e assim por diante.

É o tipo de suporte que muitas pessoas necessitam no dia a dia e que te ajuda não só a lidar com a pressão social, mas com uma série de outras questões que podem atrapalhar o cotidiano.

Se você sente que necessita desse suporte, conte com a Psicotér para te garantir isso! Entre em contato com nossa equipe hoje mesmo!

Texto de: Luísa de Oliveira – redatora da Equipe Psicotér

Aprovado por:

Lisiane Duarte

Lisiane DuarteFundadora da Psicotér, CEO e Diretora Técnica, Psicóloga Cognitivo-Comportamental, completamente apaixonada pelo ser humano, realizada e privilegiada por poder participar da transformação de vidas. Experiência de mais de 20 anos de atuação clínica e empresarial. Psicoterapeuta individual e em grupo de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casal e família, online e presencial, pós-graduada em Gestão do Capital Humano. Consultora de recolocação profissional desde 2003, capacitando e orientando profissionais em transição de carreira na busca de novas oportunidades. Também consultora em diversas empresas nacionais e multinacionais, nas diversas áreas de RH, atendimento e avaliação psicológica de profissionais.

Gostou? Compartilhe

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus

    Se identificou com o assunto deste post?

    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*

    Seu e-mail*

    Seu telefone

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *