Marker
relógio Seg a Sex dàs 7h às 22h - Sáb dàs 7h às 12:30h
(51) 9 9833-8006
(51) 4100-2513

Pandemia: como transformar as inseguranças em convicções

Categoria: Pandemia Covid-19

saúde mental na pandemia

Quando traçamos nossas metas para 2020, certamente não contávamos com meses de covid-19 e nem o abalo que teríamos em nossa saúde mental na pandemia. Nenhum de nós esperava o isolamento social que nos obrigou a mudar todos os nossos hábitos e a deixar de lado nossos planos.

Muitos fizeram planos para a vida profissional, sem nem imaginar que passariam uma boa parte do ano trabalhando em home office.

Outros planejaram viajar mais, sem saber que as rodoviárias e aeroportos estariam fechados ou operando com horários reduzidos; além disso, em muitos países as praias, praças e atrações turísticas ficaram fechadas para o público.

Outros, ainda, marcaram cerimônias como formaturas e casamentos. Elas foram adiadas devido ao distanciamento social, frustrando as expectativas que criamos para alguns dos maiores eventos de nossas vidas.

Assim que a pandemia começou a se espalhar pelo país, o comércio, as universidades e as escolas fecharam as portas. Sentimos que o mundo inteiro estava parando. Naquele momento, parecia que estávamos sendo obrigados a fazer uma pausa e deixar nossos planos, eventos e objetivos em stand-by.

Uma pausa em nossos planos

No começo, foi planejado um lockdown de vinte dias, que foi adiado sem data limite. Isso gerou uma grande incerteza sobre o futuro – afinal, quando é que o mundo vai voltar ao normal?

Não sabíamos o que o futuro nos reservava. Tudo o que sabíamos era que, no presente, as notícias ruins não paravam de chegar até nós e mesmo as melhores previsões eram assustadoras. Nesse meio tempo, o número de infectados crescia, não havia nenhum medicamento eficaz e nem a certeza de quando teríamos uma vacina.

Nas primeiras semanas, as informações eram conflitantes; ainda não tínhamos certeza de como o vírus agia, suas consequências a longo prazo, os melhores métodos de prevenção e a forma mais eficaz de tratamento. Ficamos presos em casa, sem saber como agir e se um dia voltaríamos à normalidade. Sem dúvidas, a sensação de impotência foi paralisante e fez surgir um pânico imensurável.

Aos poucos, porém, mais informações foram surgindo. Começamos a nos acostumar com as medidas de proteção e prevenção, como o uso de máscaras e álcool gel e o distanciamento social.

A fase de adaptação: como voltar à rotina?

Artistas passaram a fazer lives gratuitas para fornecer entretenimento e conforto durante esse período. Logo, os eventos online, como shows, palestras e cursos, se tornaram normais. Além disso, universidades e escolas implementaram sistemas de ensino remoto.

saúde mental na pandemia

À medida que nos adaptamos e aceitamos que esse seria o nosso “normal” por tempo indeterminado, voltamos a manter uma rotina e a estabelecer objetivos.

Apesar de estarmos nos habituando, a pandemia ainda é um momento de pânico. Precisamos tomar cuidados especiais e estamos privados de uma série de coisas. Além disso, vivemos preocupados conosco e com aqueles que amamos.

Passar mais tempo em casa pode levar à sensação de estarmos parados, gerando desânimo e queda de produtividade. Quem está trabalhando fora de casa também é afetado; as ruas e ônibus lotados aumentam a preocupação com o risco de contaminação, o que também afeta o desempenho.

A boa notícia, porém, é que conforme nos acostumamos e criamos metas adaptadas ao momento pelo qual estamos passando, conseguimos nos sentir mais confortáveis e satisfeitos com nossas realizações.

Como deixar as incertezas para trás

Apesar de não haver uma previsão para o fim da pandemia, o fim do ano se aproxima.  Essa época tem um grande valor simbólico: o de recomeço.

saúde mental na pandemiaPodemos começar a pensar em como deixar as incertezas para trás e colocar nossos objetivos em foco. Mesmo que o contexto não seja o ideal, conseguimos encontrar soluções, novas formas de contornar problemas e atingir nossas metas.

Estamos vivendo um “novo normal”; uma época de grandes mudanças na forma como nos comportamos, interagimos socialmente, trabalhamos, lidamos com problemas e até como nos sentimos.

Isso exige muito foco e muita atenção à saúde mental. O autoconhecimento é essencial para aprendermos a reconhecer nossas emoções e necessidades nessa época de tanta confusão. Assim, podemos encontrar novas maneiras de manter o equilíbrio.

Como cuidar da saúde mental durante a pandemia?

Uma maneira de cuidar da saúde mental durante esse período é a psicoterapia online. Apesar de ser um método utilizado há anos, a demanda aumentou durante o isolamento social. Cada vez mais pessoas descobrem nessa modalidade uma forma de lidar melhor com todas as emoções negativas geradas ou intensificadas durante a pandemia.

Não pense que sentir desânimo, estresse e ansiedade excessivos é normal durante esse período. Pelo contrário: é muito importante prestar atenção no que o seu corpo te diz; exigir demais de si mesmo, sem contar com nenhum tipo de apoio, pode te levar à exaustão física e emocional. Por isso, é importante procurar ajuda profissional e contar com o apoio de um psicoterapeuta habilitado para te ajudar a aliviar a ansiedade e evitar o esgotamento.

Com o fim do ano se aproximando, precisamos manter o pé no chão – mas podemos deixar nossa cabeça se perder nas nuvens! Nesse sentido, devemos elaborar novas metas que se adequem à realidade e abusar da criatividade para encontrar formas inovadoras de atingi-las. Assim, é possível contornar essa situação e “dar um jeitinho” de fazer seus sonhos deixarem de ser apenas sonhos.

Dando um passo de cada vez e praticando o autocuidado, seremos capazes de nos libertar das incertezas e seguir rumo a um novo ano, com um novo ânimo!

Lisiane Duarte – CRP 07/12563
Psicóloga e Diretora Técnica da Psicotér


    Se identificou com o assunto deste post?
    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!


    Seu nome*
    Seu e-mail*
    Seu telefone

    Gostou? Compartilhe:

    Leia Também

    Deixe seu comentário

    Pandemia: como transformar as inseguranças em convicções | Psicoter