Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
Rua Esteves Júnior, 50, Sala 404 - Florianópolis
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Desmistificando a Criatividade

A criatividade é presente em todos os seres humanos. Mesmo que sua manifestação varie de indivíduo para indivíduo, pode ser melhorada e desenvolvida. Pode ser interpretada como uma “elevação do cérebro”, o meio pelo qual o ser humano atinge algo além, diferente, inovador.

O psicólogo russo Lev Semyonovich Vygotsky, que publicou estudos na área da criatividade infantil, afirma em sua obra “Criação e Imaginação”, que é a atividade criadora que faz do homem um ser que se volta para o futuro, modificando o seu presente. Segundo o autor, a criação é a condição necessária da existência. Tudo que ultrapassa os limites da rotina deve sua origem ao processo de criação do homem.

O que isso nos ensina? Que a sociedade como ela é está diretamente relacionada aos ímpetos criativos do ser humano. O processo criativo acontece por meio da qualidade dos nossos pensamentos, que direcionam as decisões e as ações. Nossa mente é movimento, presente em transformação e criatividade.

Os pensamentos também são o meio pelo qual a evolução do ser humano pode ser acelerada e elevada; cada coisa que observamos concretamente ao nosso redor existiu primeiramente como pensamento criativo e ideia.

Podemos identificar dois princípios-base para fortalecer um cérebro criativo: acreditar que tudo está interligado, tendo como base a infinita capacidade associativa do cérebro. Permitir que a mente passe a criar conexões entre elementos aparentemente distantes e diferentes, para encontrar uma composição de informações completamente original;

E desenvolver a capacidade de quebrar as “normas”, ou seja, sair dos aspectos normais da realidade, aos quais o cérebro está acostumado e que não oferecem mais surpresas ou estímulos à imaginação, pois criatividade significa dar origem a algo novo, a uma associação não realizada antes.

Nessa linha de pensamento, é muito interessante a definição de criatividade do matemático Henri Poincaré, em 1929. Resumindo, ele diz que tal qualidade representa a capacidade de unir os elementos preexistentes em combinações novas, que sejam úteis. Isso desmistifica a ideia de que ela seja algo que nasça do nada; uma qualidade de mistérios e rara, um momento de genialidade incontrolado, e passe a ser algo mais concreto.

Desenvolver a essência do pensamento criativo exige igualmente algumas competências. Como flexibilidade, foco, determinação, persistência, curiosidade e autodisciplina.

Dentro das empresas, a criatividade ocupa um papel central na busca de soluções originais e inovadoras. Por isso, ela é hoje considerada e tratada no contexto empresarial como patrimônio e recurso estratégico para o desenvolvimento e sucesso da empresa; cada vez mais é objeto de formação e treinamentos, pois “anda” de mão dada com a inovação.

A criatividade e inovação podem ser consideradas as faces de uma mesma moeda e valores fundamentais na cultura corporativa, mas para potencializar seu processo criativo, é preciso que você esteja aberto ao novo, supere a resistência à mudança, indo além dos esquemas mentais habituais. E, especialmente, que você não deixe de persistir. A criatividade é universal.

Gostou? Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus




    Se identificou com o assunto deste post?


    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*
    Seu e-mail*
    Seu telefone

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.