Marker
relógio Seg a Sex dàs 7h às 22h - Sáb dàs 7h às 12:30h
(51) 9 9833-8006
(51) 4100-2513

Sentimentos reprimidos na infância: “Engole esse choro”

Categoria: Comportamento, Infância

“Engole esse choro”! As emoções representam o nosso mundo interior e é fundamental que possamos expressá-las; assim elas podem ser de fato vivenciadas e até compreendidas por nós. Quando falamos dos sentimentos infantil, torna-se ainda mais importante que se incentive sua livre expressão. É nesta fase da vida que aprendemos a lidar com as emoções. Ter os sentimentos reprimidos logo na infância não é saudável.

Se uma criança é incentivada a não externalizar o que sente, esta entenderá que a forma correta de ser é não mostrar
seus sentimentos. Ou seja, isso pode causar um bloqueio que a acompanhará ao longo da vida.

No intuito de amenizar um desconforto expressado pelas crianças e como uma forma de educar os filhos, muitos pais incentivam as crianças: “engole esse choro”. No entanto, sem se dar conta, podem estar impedindo que elas comuniquem o que as descontentou. Assim, não não há um real alivio para a situação, mas sim uma repressão do que sentem.

Ter os sentimentos reprimidos não é saudável

Imagem - reprimir sentimentosEsse silêncio pode ter implicações no seu desenvolvimento psicológico e social, bem como na sua saúde emocional. Independentemente de qual emoção estamos falando, seja raiva, frustração ou ciúmes, os sentimentos infantil trazem uma mensagem que precisa ser entendida e liberada. Se os pais e educadores tentarem bloquear os sentimentos, pedindo que as crianças chorem ou mostrem seu desconforto perante as situações, estes não conseguirão entender o que acontece com eles e estarão contribuindo para que não as expressem.

Além disso, corremos o risco de que sintam-se rejeitados. Estaremos exigindo um comportamento que não é natural para eles; baseado na nossa dificuldade de lidar com as suas emoções – e possivelmente as nossas também.

Ao incentivarmos as crianças a lidarem com suas emoções, sejam elas positivas ou negativas, possibilitaremos que elas se tornarem adultos mais aptos a lidarem com seu mundo interno, desenvolvendo assim sua inteligência emocional.

Isso repercutirá não só nas suas vidas, mas também na daqueles que o cercam, pois estarão aptos a melhor compreendê-los. Como afirma o renomado psicólogo Daniel Goleman, autor do livro Inteligência Emocional, o conhecimento de si mesmo e dos próprios sentimentos é a pedra angular que sustenta o crescimento pessoal; daí a importância de nos conectarmos e valorizarmos o que sentimos.

Psic. Alessandra Ribeiro – CRP/27850

Psicóloga clínica, Pós-Graduanda em Psicologia Clínica Junguiana


Se identificou com o assunto deste post?
Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!


Seu nome*
Seu e-mail*
Seu telefone

Gostou? Compartilhe:

Leia Também

1 Comentário

  1. Carmen Rodrigues | 24 de abril, 2019

    Eu fui criada assim e também ouvia a frase: Chorar não resolve…
    Infelizmente isso é muito triste. Hoje em dia, tenho ainda dificuldades em expressar o que sinto.

Deixe seu comentário

Contato e Endereços

Para facilitar o seu atendimento, a Psicotér atende em diversas localidades de Porto Alegre. Veja no mapa qual o endereço mais próximo de você e ligue para agendar sua primeira consulta gratuita!

(51) 4100-2513
(51) 9 9833-8006
Fale conosco
Entre em contato para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS ou tirar dúvidas.

(51) 4100-2513