Marker
relógio Seg a Sex dàs 7h às 22h - Sáb dàs 7h às 12:30h
(51) 9 9833-8006
(51) 4100-2513

Concursos públicos – entenda como funcionam as devolutivas

Categoria: Sem categoria

Concursos públicos podem prever o Psicotécnico, ou seja, uma etapa de avaliação psicológica que é realizada por profissionais psicólogos contratados pela banca examinadora para aprovar ou não o candidato.

Devolutivas de concursos públicos serão dadas ao candidato por um psicólogo da banca examinadora através da leitura de um laudo psicológico contendo os resultados obtidos.

A apresentação dos testes psicológicos, assim como informações sobre a testagem e técnicas utilizadas no processo de avaliação psicológica só pode ser realizada na presença de um profissional da área, também psicólogo, por questões éticas e legais, garantindo o entendimento e a confidencialidade dos dados.

O Psicotécnico contempla recursos para conhecer o perfil do candidato. Portanto, verifica se a pessoa mostra as competências e características exigidas para o desempenho do cargo.

Imagem - devolutiva concurso públicoA avaliação psicológica realizada em concursos públicos é composta por três etapas: Testes Psicométricos, Testes de Personalidade e Entrevista. Os testes psicométricos são aqueles que investigam as capacidades cognitivas do sujeito: atenção, atenção dividida, raciocínio lógico, memória, entre outros. Geralmente são estes os aspectos mais investigados em concursos públicos, podendo variar conforme a descrição da função. Assim, uma variedade de testes podem ser utilizados com o mesmo objetivo, medindo essas capacidades.

Dentro dessa etapa psicométrica, grande parte dos concursos públicos consideram um resultado médio como requisito, na maioria dos critérios avaliados.

Dependendo dos critérios descritos em edital, alguns concursos ainda consideram o escore médio inferior como satisfatório, de acordo com a combinação com outros fatores, sendo a maioria na media ou acima da média exigida para sua população, grau de escolaridade e faixa etária.

Já os testes de personalidade investigam caraterísticas do sujeito tais como:
  • tolerância a frustração,
  • autocontrole,
  • agressividade,
  • extroversão,
  • conformidade,
  • liderança,
  • trabalho em equipe,
  • afetividade,
  • empatia.
 – Geralmente é esperado grau médio ou regular, dependendo das exigências para o cargo.

Não é possível treinar os resultados dos testes de personalidade pois de um modo ou outro mostram traços de cada um se portar frente a situações expostas. O teste pode ser gráfico; projetivo, na qual imagens são apresentadas para o candidato responder o que ele enxerga; pode conter perguntas pessoais; entre outros métodos utilizados.

A entrevista por si só não costuma ser a etapa que elimina um candidato do concurso público ou processo seletivo. Por se tratar de uma técnica mais subjetiva, embora contendo um foco e objetivos claros para o avaliador, e mostra-se dirigida a investigar os critérios avaliados, a entrevista ainda é a etapa mais subjetiva do processo, tratando-se de pessoas lidando com pessoas, ficando sujeita ao registro das informações expressas pelo candidato e percebidas perante o ponto de vista do psicólogo avaliador.

Espera-se que essa comunicação seja o mais estruturada, direta e objetiva possível, mas não contém número de acertos, não oferece uma pontuação específica ou escore de acertos esperados como num teste psicométrico. Por esse motivo, costuma ser uma forma de validar ou descartar dados obtidos nas outras duas etapas de avaliação psicológica.

Quem está se preparando para uma avaliação psicológica de um concurso público deve estar atendo ao edital, conhecer os critérios, buscar mais informações sobre o processo de avaliação e ir para o processo de avaliação preparado. Além disso, tenha boas noites de sono, alimente-se bem, vá descansado, atento, tranquilo e confiante para um melhor aproveitamento das suas capacidades cognitivas. O indicado é conseguir ser o mais coerente possível.

Exercite sua capacidade de autocontrole e resiliência! Às vezes será necessário pensar e produzir em condições adversas. Por exemplo, um ambiente desconfortável ou inadequado na hora da avaliação, tendo de suportar altas ou baixas temperaturas, presença de barulhos, etc. Não permita que nenhum outro estímulo externo atrapalhe seu rendimento.

Um teste psicológico é como qualquer outro teste, naquele registro precisamos mostrar as nossas habilidades num curto espaço de tempo!

Obtenha a capacidade de reparação. Assim, se você errou alguma questão ou não compreendeu o que está sendo perguntado, pule esse requisito, e retorno somente ao final do teste se sobrar tempo para dedicar a essa questão. Lembre-se: Você não precisa ser 100% assertivo. Mas cuidado para não se contaminar com eventuais falhas. Afinal, você não pode deixar que um erro defina o resultado final da sua avaliação.

Se você está interessado em passar em concursos públicos, conte conosco para a sua preparação! Nosso objetivo é mostrar a sua melhor performance!

Psic. Márcia Moraes – CRP 07/12844

Psicóloga Cognitivo Comportamental 


Se identificou com o assunto deste post?
Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!


Seu nome*
Seu e-mail*
Seu telefone

Gostou? Compartilhe:

Leia Também

Deixe seu comentário

Contato e Endereços

Para facilitar o seu atendimento, a Psicotér atende em diversas localidades de Porto Alegre. Veja no mapa qual o endereço mais próximo de você e ligue para agendar sua primeira consulta gratuita!

(51) 4100-2513
(51) 9 9833-8006
Fale conosco
Entre em contato para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS ou tirar dúvidas.

';