Marker
relógio Seg a Sex dàs 7h às 22h - Sáb dàs 7h às 12:30h
(51) 9 9833-8006
(51) 4100-2513

Da Timidez à Fobia Social

Categoria: Doenças e Transtornos, Timidez e fobia social

A simples vergonha em se apresentar em público transformada em uma angústia conflituosa pode ser indício de um Transtorno de Ansiedade Social.

A Timidez é um estado mental que deriva da Ansiedade;  é o medo de estar exposto aos outros, de se comunicar com os outros. Este medo pode ter uma intensidade distinta em cada pessoa, criando desde pessoas reservadas até estados verdadeiramente fóbicos – Fobia Social.

A Timidez tem um impacto negativo na vida porque impede a evolução das relações sociais. Algo essencial ao ser humano.

Os casos de Fobia Social conduzem a estados depressivos ainda mais limitantes, incluindo à Depressão profunda, afastando o indivíduo de todo o contato social.

Algum grau de ansiedade em situações de exposição social é algo que faz parte da vida de todos nós. Para alguns, o nervosismo surge para fazer uma entrevista de emprego ou para falar em público. De fato, sentir-se ansioso não é doença e até determinado ponto é adaptativo. Assim, pode melhorar nosso desempenho, e por vezes, tem a função de proteção. No entanto, quando essa ansiedade é excessiva, começa a se tornar um problema.

Vamos imaginar um estudante que precisa apresentar um seminário na sala de aula. Ficar moderadamente ansioso é bom para ele no sentido de ajudá-lo a estudar com antecedência; ensaiar sua apresentação e, consequentemente, ter um melhor desempenho. No entanto, caso essa ansiedade seja tão intensa que na hora da apresentação a pessoa comece a gaguejar ou dê um “branco” e ela não consiga apresentar o que havia preparado, então essa ansiedade deixa de ser saudável e torna-se um problema.

A timidez pode ser definida como um desconforto ou inibição em situações de interação social, geralmente associada a grande preocupação com as atitudes, reações e pensamentos dos outros. Seria um grau de ansiedade em situações sociais um pouco mais elevado, mas ainda saudável. E aqui é importante ressaltar: timidez não é doença. Entretanto, para algumas pessoas, a ansiedade diante das situações sociais torna-se tão intensa, incapacitante e paralisante, que prejudica as atividades do dia-a-dia e os relacionamentos interpessoais. Nesse caso pode ser feito o diagnóstico de Fobia Social.

Assim, a timidez é uma ansiedade normal que diminui com a exposição e a experiência de vida, podendo até contribuir para um desempenho melhor nas situações sociais. Só falamos em Fobia Social, ou Transtorno de Ansiedade Social (seu nome oficial), quando a ansiedade é persistente, de alto grau e resulta em comprometimento no funcionamento social e psíquico. Fobia Social é muito mais que timidez.

A característica essencial da Fobia Social é a ansiedade diante de situações sociais em que a pessoa sente que está sendo observada por pessoas fora do seu ambiente familiar. Estas situações incluem falar em público, comer, beber, e escrever em frente aos outros, encontrar pessoas que representam figuras de autoridade ou convidar alguém para um encontro. Essas situações são evitadas ao máximo, mas caso não seja possível, causam marcante ansiedade antecipatória, desconforto e mal-estar. Os sintomas mais comumente relatados incluem coração acelerado, rubor, sudorese, tremores nas mãos, bloqueio da fala; todos observáveis pelas outras pessoas, o que ajuda a aumentar a ansiedade.

É um dos transtornos psiquiátricos mais comuns. A idade média de início está entre 11 e 19 anos. um período da vida em que a personalidade e habilidades sociais ainda estão sendo desenvolvidas. O início é seguido por cronicidade e prejuízo que afeta praticamente todas as áreas da vida. Pacientes com Fobia Social apresentam tendência a pior desempenho escolar. Eles têm menor probabilidade de se casar e maior chance de continuar morando com os pais; nível de renda mais baixo e são mais susceptíveis a ficar desempregados. O diagnóstico e a intervenção precoce podem prevenir o desenvolvimento de outros problemas e melhorar a qualidade de vida das pessoas com Fobia Social.

Causas da Timidez:

O medo de se expor provém da sensação de não se estar à altura dos outros, de ser diferente, incapaz. Há um constante receio de que as outras pessoas irão agredir ou envergonhar. Para quem cora de forma evidente ou apresenta outro sintoma físico desagradável, só a ideia de que vai corar e provocar reações negativas nos outros constitui, por si só, um medo.

Estas crenças condicionam as relações sociais e derivam de experiências traumatizantes. Como, por exemplo, o Bullying na escola, agressões sofridas na infância e adolescência, críticas e pressões por parte de pais e educadores.

Principais Sintomas da Timidez e Fobia Social:

– Sintomas da Ansiedade (aumento frequência cardíaca, dificuldade em respirar, suores…)

– Corar

– Mãos trémulas

– Boca seca, dificuldade em falar

– Gaguez

Tratamento:

O tratamento mais indicado tanto para a timidez quanto para a fobia social é a psicoterapia. Acompanhada ou não de medicamentos. O uso de medicamentos é determinado caso a caso, mas na fobia social é em geral obrigatório. Na timidez são poucos os casos em que o remédio é recomendado. Existe um preconceito muito forte em relação a tais substâncias, mas esta fama é injustificada. Atualmente, existem excelentes opções destinadas ao combate da inibição, depressão e ansiedade; causando pouca ou nenhuma dependência e efeitos colaterais.

Gostou? Compartilhe:

Leia Também

Deixe seu comentário

Contato e Endereços

Para facilitar o seu atendimento, a Psicotér atende em diversas localidades de Porto Alegre. Veja no mapa qual o endereço mais próximo de você e ligue para agendar sua primeira consulta gratuita!

(51) 4100-2513
(51) 9 9833-8006
Fale conosco
Se preferir, preencha os campos abaixo e entre em contato para agendar sua consulta: