Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
Rua Esteves Júnior, 50, Sala 404 - Florianópolis
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Unhas, porque roemos tanto elas?

A onicofagia é o hábito regular de roer as unhas. É caraterizada pelo impulso desenfreado de algum nervosismo que causa dependência pouco saudável em roer e morder os dedos.

Esse transtorno é frequentemente encontrado em crianças, jovens e adultos; é muito comum entre as faixas etárias dos 4 a 18 anos, e com baixa incidência após os 16 anos.

A Onicofagia pode estar intimamente ligada ao estresse e problemas relacionados à ansiedade, sendo assim, descobrir as causas internas deste problema é fundamental para extinguir esse hábito. Além disso, essa prática rotineira pode acabar prejudicando a imagem daquele que a pratica. Por exemplo, em uma entrevista de emprego ou até mesmo em encontros casuais; as nossas unhas falam muito sobre quem somos.

Partindo desse pressuposto, é necessário encontrar as causas da Onicofagia, sendo está variável em cada indivíduo. Ás vezes essas causas podem ser puramente genéticas;  mas também podem se manifestar em algum conflito de alto nível de preocupação, como problemas familiares, no trabalho, traumas etc. Não existe, segundo pesquisadores, uma causa exata; porém existem tratamentos muito eficazes que podem ajudar a Onicofagia.

Os tratamentos resumem-se primeiramente em procurar ajuda terapêutica, visto que, a ansiedade e outros conflitos internos podem acabar prejudicando em longo prazo e individualmente de forma distinta. A ajuda psicológica incentiva o paciente a agir de forma adequada e controlar o hábito de roer a unha de outras formas mais saudáveis e eficazes.

Existem tratamentos convencionais que podem se aplicados para ajudar a curto prazo. Contudo, é necessário perseverança e dedicação, visto que é um vicio como qualquer outro.

Apesar de um primeiro momento existir uma sensação de alívio após roer as unhas podem trazer consequências variadas, como a gripe devido a grande proliferação de bactérias que passam da mão para a boca; além de poder contrair outros tipos de doenças infectocontagiosas.

Em suma, roer as unhas vai além de um parâmetro estético. Pode ser a consequência de sucessivos desequilíbrios emocionais. É necessário, pois, ajuda psicológica a fim de encontrar o problema e desmarcará-lo. Roer as unhas pode ser uma resposta automática de problemas até então nunca descobertos pelo paciente em questão.

Descobrir as causas desta compulsão e quais são os gatilhos que o precedem é o primeiro passo para a tomada de consciência e mudança de atitudes, através de um programa de novos repertórios emocionais e comportamentais, proporcionando equilíbrio e hábitos mais saudáveis.

Roer as unhas pode ser um hábito aparentemente inocente, mas pode ser a ponta do iceberg do seu mundo emocional. Venha fazer uma avaliação psicológica e aprender a extinguir esse vício!

Quem está falando com você é Nina Guarnieri Psicóloga da Equipe Psicotér,

Tire suas dúvidas sobre a primeira avaliação gratuita

Psicotér: clínica de psicologia em Porto Alegre com atendimento presencial, online e domiciliar.

Gostou? Compartilhe
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus




    Se identificou com o assunto deste post?


    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*
    Seu e-mail*
    Seu telefone