Marker
relógio Seg a Sex dàs 7h às 22h - Sáb dàs 7h às 12:30h
(51) 9 9833-8006
(51) 4100-2513

Dicas para Conviver com a Ansiedade

Categoria: Ansiedade, Motivação/Dicas

Você sofre com a ansiedade? Se a sua resposta foi sim, sabia que existem alguns hábitos perigosos do dia a dia que você deve evitar?

Mas, o que é a ansiedade? Você consegue identificar os sintomas em você?

A ansiedade é um assunto presente na vida de todos. Normalmente, atribui-se a ela uma conotação negativa, mas também está associada a momentos felizes, como o dia do casamento, da formatura, de algum reencontro importante, entre tantos outros motivos. É um recurso biológico necessário e uma reação natural do corpo perante ameaças reais e perigos, antecipando-os.

Porém, quando atinge os limites considerados “normais”, é responsável pelo sofrimento de milhões de pessoas no mundo todo. Para você entender o quão difícil é conviver com a ansiedade, deve imaginar a situação de medo, apreensão e desconforto constantes em relação a algo desconhecido e sem riscos reais. Ou seja, nada precisa estar realmente acontecendo ou ameaçando o indivíduo para que surjam estas sensações. Com o passar do tempo, torna-se insuportável tanto mal-estar que chega a comprometer as tarefas diárias e, em alguns casos, paralisa a vida de quem sofre desse transtorno, não conseguindo mais sair de casa, nem mesmo para estudar ou trabalhar.

Além disso, também apresenta alguns outros sintomas:

  • Medo de falar em público.

  • Insegurança.

  • Tensão muscular.

  • Distúrbios gastro intestinais.

  • Insônia ou sonolência.

  • Inapetência ou aumento de apetite.

  • Preocupação excessiva.

  • Pânico.

  • Perfeccionismo.

  • Medos irracionais.

  • Comportamentos compulsivos (ex. roer as unhas).

Parece familiar? Mas o que você pode fazer para amenizar?

Reações ansiosas que se repetem com freqüência e longa duração geram uma angústia difícil de se lidar e suportar. Nestes casos, é necessário buscar ajuda profissional, através da psicoterapia, onde o terapeuta irá entender o paciente, buscando recursos para que ele mesmo consiga lidar com seus sintomas, ensinando-o técnicas de relaxamento, auxiliando para que consiga identificar as origens de sua ansiedade e, em 90% dos casos, chegando até mesmo a cura.

Sabe-se que, mesmo que não seja o recomendado, ainda existem pacientes que não buscam por clínicas, por diversos motivos, desde condições financeiras, até o medo ou a desconfiança de que a terapia não entregue resultados. Essa demora na busca pelo profissional agrava os casos, mas não é o único fator de risco para pacientes com ansiedade. Além disso, ainda é importante evitar algumas coisas:

  • Cafeína

A cafeína é um dos maiores estimulantes da ansiedade. O ideal é que as bebidas que contenham cafeína sejam substituídas por bebidas relaxantes, como chás e ervas.

  • Açúcar

O consumo exagerado do açúcar interfere nas alterações de humor. No primeiro momento de ingestão, causa a sensação de relaxamento, mas depois de algum tempo causará o oposto.

  • Preocupações

Preocupação excessiva é um dos sintomas da ansiedade e contribui diretamente para os sintomas físicos. Ainda que seja difícil controlar os pensamentos, é importante verificar a viabilidade de suas preocupações. Por exemplo, tentar evitar se preocupar com coisas as quais você não pode fazer nada a respeito e dedicar seu tempo em resolver questões nas quais você tem controle e apresentem algum perigo real caso não sejam realizadas.

Existem, ainda, aliados muito fortes ao conviver com a ansiedade, como a prática regular de exercícios físicos, a ingestão de chás e ervas que auxiliam no relaxamento do corpo, além de meditação e yoga, que ajudam no processo físico e mental, principalmente a evitar pensamentos negativos, muito comuns deste transtorno.

Todas essas dicas ajudam no processo, mas é inevitável que, em algum momento, você acabe identificando a necessidade de uma ajuda profissional e a terapia cognitivo-comportamental é a opção mais indicada, porque vai agir diretamente na transformação de pensamentos e comportamento, alterando o seu jeito de agir diante dos sintomas.

Se identificou ou conhece alguém que se encaixe no comportamento descrito por este texto e que precisa da ajuda de um psicoterapeuta? Entre em contato conosco através desse link para agendar uma Avaliação Gratuita Online ou Presencial com uma Psicóloga em Porto Alegre (Zona Norte ou Zona Sul). Com a ajuda do Terapeuta, o indivíduo conseguirá lidar melhor com a ansiedade e melhorar a qualidade de vida.
Gostou? Compartilhe:

Leia Também

2 Comentários

  1. Carolina Botelho Cardona | 27 de agosto, 2018

    Eu sofro de ansiedade desde criança, e em 2016 comecei a ficar depressiva e hoje só tem piorado, estou num estágio que tem dias que não consigo controlar nenhuma das duas, me dopo de remédio e me corto pra aliviar a tensão emocional e acabo dormindo. Tenho pensamentos excessivos o tempo todo mesmo, é horrível, não consigo controlar, é tudo mais forte que eu. Eu tento me ocupar o máximo possível, mas isso não tem ajudado, não consigo mais fazer as coisas que eu mais gosto, só sinto tristeza profunda e queria que tudo isso acabasse logo, por que eu não aguento mais mesmo. Meu corpo já esta pedindo ajuda, estou com feridas pelo meu couro cabeludo, alergia no rosto, cabelo caindo, febre e diarreia. Eu to cansada, cada vez mais cansada de tudo isso.

    • Psicoter | 07 de outubro, 2018

      Olá Carolina, obrigada por compartilhar sua história conosco. Procure auxílio profissional o mais breve possível, você pode sair dessa e buscar uma qualidade de vida bem melhor. Tome uma atitude definitiva e deixe-se ser ajudada. Estamos à disposição.

Contato e Endereços

Para facilitar o seu atendimento, a Psicotér atende em diversas localidades de Porto Alegre. Veja no mapa qual o endereço mais próximo de você e ligue para agendar sua primeira consulta gratuita!

(51) 4100-2513
(51) 9 9833-8006
Fale conosco
Se preferir, preencha os campos abaixo e entre em contato para agendar sua consulta: