Endereços psicoter
Rua Vigário José Inácio, 250 Sala 102 Centro - Porto Alegre
R. Antônio Joaquim Mesquita, 131 - Passo d'Areia - Porto Alegre
SEG A SEX DÀS 7H ÀS 22H - SÁB DÀS 7H ÀS 12:30H

Violência Sexual: O que é, Tipos, O que Fazer e Como Buscar Ajuda

Precisamos falar sobre a violência sexual.

Isso porque muitas pessoas sofrem com essa realidade todos os dias e fazem isso caladas, sem buscar a ajuda certa ou sem conseguir o suporte que tanto merecem.

E nós estamos falando principalmente de mulheres!

Os números são alarmantes: segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), uma em cada três mulheres em todo o mundo já foi vítima de violência física ou sexual, geralmente violentada por um parceiro íntimo.

Além disso, estima-se que uma em cada seis mulheres e um em cada 33 homens tenham sido vítimas de violência sexual ao longo da vida.

Essas estatísticas, no entanto, representam apenas uma fração do panorama completo, uma vez que muitos casos de violência sexual não são denunciados ou registrados oficialmente devido ao tabu, julgamento, medo e falta de apoio.

Acompanhe o artigo completo para mais informações!

 

O que é a violência sexual?

A violência sexual é uma forma de violência que acontece quando uma pessoa é forçada ou levada a participar de atividades sexuais contra sua vontade ou sem seu consentimento.

Este tipo de violência pode se apresentar de diversas formas, desde estupro e abuso sexual até assédio sexual e exploração sexual mesmo.

É o tipo de coisa que pode acontecer em diferentes contextos, incluindo relações íntimas, locais de trabalho, escolas, faculdades, ambientes comunitários e até mesmo em situações de conflito armado ou abuso de poder.

O ato de violência sexual é uma enorme violação dos direitos humanos, e frequentemente é motivado pelo desejo de exercer poder, controle ou dominação sobre a vítima, em vez de ser impulsionado por desejo sexual legítimo.

Além disso, é importante entender que a violência sexual não discrimina, afetando pessoas de todas as idades, gêneros, orientações sexuais, etnias e classes sociais.

Veja também o que é o Gaslighting e a manipulação psicológica.

 

Tipos de violência sexual

Existem diversos tipos de violência sexual, segundo o Código Penal Brasileiro e hoje vamos te mostrar, acompanhe:

Estupro:

O estupro é um dos crimes mais graves e traumáticos de violência sexual. Ele ocorre quando alguém é forçado a ter relações sexuais ou atos sexuais contra sua vontade, sem seu consentimento.

Isso pode incluir penetração vaginal, anal ou oral, bem como outras formas de contato sexual forçado. O estupro é uma violação grave dos direitos humanos e pode deixar profundas cicatrizes físicas, emocionais e psicológicas nas vítimas.

 

Violação sexual mediante fraude:

A violação sexual mediante fraude ocorre quando uma pessoa obtém consentimento para o ato sexual por meio de engano, manipulação ou falsas promessas.

Por exemplo, se alguém engana outra pessoa fingindo ser seu parceiro íntimo, ou se utiliza de informações falsas para obter consentimento para o ato sexual, isso é considerado violação sexual mediante fraude. É uma forma de violência sexual que envolve a quebra da confiança e do consentimento genuíno da vítima.

 

Importunação sexual:

A importunação sexual refere-se a comportamentos sexuais indesejados ou invasivos que causam desconforto, medo ou constrangimento à vítima. Isso pode incluir gestos, comentários, toques ou avanços sexuais não desejados em espaços públicos ou privados.

Embora possa não envolver necessariamente contato físico, a importunação sexual é uma forma de violência que viola os limites pessoais e o consentimento da vítima.

 

Divulgação não autorizada de imagens íntimas:

A divulgação não autorizada de imagens íntimas, também conhecida como “pornografia de vingança” ou “revenge porn”, ocorre quando alguém compartilha fotos, vídeos ou outros conteúdos íntimos de outra pessoa sem seu consentimento.

Isso pode ter graves repercussões para a vítima, incluindo constrangimento, humilhação, assédio e até mesmo impactos profissionais e pessoais duradouros.

 

Registro não autorizado da intimidade sexual:

O registro não autorizado da intimidade sexual envolve a gravação ou o registro de atos sexuais sem o consentimento explícito de todas as partes envolvidas.

Isso pode incluir filmar ou fotografar encontros sexuais sem permissão, e pode resultar na divulgação não autorizada dessas imagens, além de violar a privacidade e o consentimento das pessoas envolvidas.

 

Assédio sexual:

O assédio sexual é uma forma de violência baseada no gênero que envolve avanços sexuais indesejados, propostas sexuais, comentários, gestos ou outros comportamentos sexuais não desejados ou não solicitados, que criam um ambiente intimidante, hostil ou ofensivo para a vítima.

Pode ocorrer em locais de trabalho, instituições educacionais, espaços públicos e em outras configurações, e é uma violação dos direitos humanos fundamentais da vítima.

 

Estupro corretivo:

O estupro corretivo é uma forma específica de violência sexual em que uma pessoa é estuprada ou agredida sexualmente com o objetivo de puni-la ou corrigir sua orientação sexual, identidade de gênero ou expressão de gênero.

É uma manifestação extrema de homofobia, transfobia e misoginia, e é uma violação grave dos direitos humanos da vítima.

 

Estupro de vulnerável:

O estupro de vulnerável ocorre quando alguém pratica atos sexuais com uma pessoa que não tem capacidade de consentir devido a sua idade, condição mental ou física, embriaguez ou outra circunstância que a torne vulnerável.

Isso inclui crianças, adolescentes, pessoas com deficiência mental, e outras pessoas que são incapazes de consentir livre e conscientemente em atividades sexuais. É uma forma grave de abuso sexual que explora a vulnerabilidade da vítima.

 

Consequências do abuso sexual

As consequências do abuso sexual podem acompanhar uma pessoa ao longo da vida inteira, pois deixa marcas profundas na mente, no psicológico e até no corpo das vítimas. Vamos te contar algumas das consequências mais comuns:

  • Trauma psicológico
  • Danos emocionais
  • Impacto nas relações interpessoais
  • Danos à autoestima e autoimagem
  • Problemas de saúde física
  • Desenvolvimento de transtornos de saúde sexual
  • Dificuldades no funcionamento acadêmico ou profissional
  • Riscos de comportamentos destrutivos
  • Impacto na vida cotidiana
  • Ciclo de violência

O que fazer para combater a violência sexual?

Combater a violência sexual é uma responsabilidade coletiva que precisa contar com uma abordagem abrangente.

Uma das primeiras medidas importantes é garantir a educação e a conscientização pública sobre consentimento, respeito mútuo e igualdade de gênero.

Isso pode ser feito por meio de campanhas de conscientização, programas educacionais nas escolas e discussões abertas na comunidade.

Além disso, é extremamente importante fortalecer as políticas e leis de proteção às vítimas de violência sexual.

Isso inclui a implementação de leis claras e eficazes que punam os agressores e protejam os direitos das vítimas de verdade. Também é importante oferecer apoio a serviços de saúde mental e suporte para quem sofre com isso, garantindo que tenham acesso a terapia individual, aconselhamento e grupos de apoio.

Profissionais de diversas áreas, como saúde, assistência social, educação e aplicação da lei, devem receber treinamento adequado para identificar sinais de violência sexual, responder de maneira sensível e encaminhar as vítimas para os serviços de apoio necessários.

 

Como denunciar agressores sexuais?

Na hora de denunciar agressores sexuais é importante encorajar as vítimas a buscar ajuda.

Isso pode envolver entrar em contato com a polícia local, procurar assistência em centros de apoio a vítimas de violência sexual, denunciar anonimamente através de linhas diretas de denúncia e consultar um advogado para obter orientação legal e proteção.

O mais importante é fazer tudo isso com o cuidado certo para que a vítima esteja segura e protegida.

 

Como a psicologia ajuda em casos de abuso sexual?

A psicologia funciona como um grande pilar de apoio às vítimas de abuso sexual.

Através de uma grande quantidade de intervenções e abordagens terapêuticas, os psicólogos trabalham para ajudar os sobreviventes a lidar com o trauma emocional, processar suas experiências e reconstruir suas vidas.

A terapia individual é uma ferramenta fundamental nesse processo, fornecendo um espaço seguro onde os sobreviventes podem entender seus sentimentos, identificar padrões de pensamento negativos e aprender estratégias para lidar com o estresse e a ansiedade.

Além disso, os psicólogos trabalham com as pessoas para enfrentar traumas passados, criando a possibilidade de uma cura emocional e psicológica.

O suporte, nesses casos, é outro aspecto muito importante da intervenção psicológica, proporcionando um ambiente empático onde os sobreviventes podem expressar suas emoções, compartilhar suas experiências e receber validação para seus sentimentos.

Isso ajuda os sobreviventes a se sentirem menos isolados e mais fortalecidos em sua jornada de recuperação.

E aí, gostou do artigo?

Entre em contato com a nossa equipe para garantir o suporte ideal para você!

Texto aprovado por:

Lisiane Duarte

Lisiane DuarteFundadora da Psicotér, CEO e Diretora Técnica, Psicóloga Cognitivo-Comportamental, completamente apaixonada pelo ser humano, realizada e privilegiada por poder participar da transformação de vidas. Experiência de mais de 20 anos de atuação clínica e empresarial. Psicoterapeuta individual e em grupo de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casal e família, online e presencial, pós-graduada em Gestão do Capital Humano. Consultora de recolocação profissional desde 2003, capacitando e orientando profissionais em transição de carreira na busca de novas oportunidades. Também consultora em diversas empresas nacionais e multinacionais, nas diversas áreas de RH, atendimento e avaliação psicológica de profissionais.

Gostou? Compartilhe

Posts Relacionados

Confira os assuntos de maior interesse

avaliação psicológica bônus

    Se identificou com o assunto deste post?

    Então deixe seus dados abaixo que entraremos em contato em instantes* para agendar sua AVALIAÇÃO BÔNUS!

    Seu nome*

    Seu e-mail*

    Seu telefone

    Leia também os posts mais recentes

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *