Cuidado! Você Pode Estar Viciado…

Você tem percebido um aumento na frequência de hábitos que antes não eram tão comuns do seu dia a dia? Anda exagerando em alguma coisa, em troca de satisfação emocional?

Cuidado! Você pode estar viciado…

Para que você entenda, alguns transtornos possuem a mesma característica em comum: o exagero. Esse sofrimento exagerado pode se dar na compulsão com a comida, com o sexo, com as compras, com os jogos, com a internet, com as drogas, dentre muitos outros.

Porém, para entender melhor esses transtornos, antes precisamos compreender o que são os comportamentos aditivos. Basicamente, são hábitos aprendidos na experiência do sujeito para lidar com algum problema. Ou seja, são hábitos que já foram executados repetidas vezes e acontecem quase automaticamente, se infiltrando na rotina do sujeito, e são seguidos por uma gratificação imediata. Por exemplo, comer para “aliviar” a ansiedade.

Esses hábitos acabam sendo prejudiciais, porque não se adaptam ao bem-estar físico, mental ou social da pessoa. Por exemplo, a experiência imediata da gratificação segue acompanhada por consequências negativas, como dívidas no banco, problemas de saúde, baixa estima, brigas com a família, etc. Essa “gratificação” que segue o ato, acaba fazendo com que o indivíduo torne a repetir os hábitos, para sentir novamente a sensação de prazer daquele momento.

O problema é que, em seguida, surge o mal-estar, porque a pessoa não consegue mais controlar aquele determinado impulso que prejudica a sua vida.

Mas, será que você se encaixa em algum transtorno do exagero? Veja abaixo alguns dos mais comuns:

  • Transtorno da Compulsão Alimentar: o sujeito consome uma grande quantidade de comida muito superior ao que a maioria das pessoas comeriam em um determinado período ou situação. Acompanhado pela sensação de perda do controle, ou seja, pela incapacidade de evitar comer ou parar de comer.
  • Transtorno da Compulsão Sexual: o desejo hiperativo por sexo gera uma necessidade repetitiva de realizar contatos e visualizar imagens que contenham pornografia. Não se saciando com uma relação sexual, o sujeito já fica ansioso a procura de uma próxima oportunidade. Esses indivíduos apresentam muitas dificuldades no seu dia a dia, em função do seu desejo.
  • Transtorno de Compra Compulsiva: caracteriza-se pelo aumento progressivo das compras, pela perda de controle sobre o ato de comprar, pela utilização da compra para tentar amenizar emoções negativas. As pessoas são viciadas na gratificação que a compra causa, no ato de bem-estar que desperta. Normalmente, não pagam contas básicas e gastam em produtos desnecessários, pois a gratificação e a satisfação que a compra traz não permitem avaliar prejuízos financeiros futuros.
  • Transtorno da Dependência de Internet: inegável a praticidade da internet. Entretanto, a sua dependência excessiva poderá ocasionar o afastamento dos familiares e amigos, além de sérios prejuízos no trabalho. Mais determinante para o diagnóstico do que o tempo em que o usuário permanece conectado à web é, por exemplo, a instabilidade emocional quando há restrição ao uso da internet e a preocupação excessiva com ela. É comum atividades ou afazeres antes valorizados pelo usuário deixarem de ter prioridade ou até mesmo de serem realizados.

Existem diversos outros transtornos de exagero, como o vício em trabalho ou no álcool, por exemplo. Porém, é importante ressaltar que, exatamente assim como diz o ditado, tudo que é em excesso faz mal, ou seja, prejudica e adiciona consequências que nem sempre estamos preparados para enfrentar. Nos casos mais graves, alguns indivíduos não conseguem manter o emprego, jovens apresentam menor rendimento escolar, pois o transtorno começa a tomar conta da vida.

Não raro, as pessoas se afastam de familiares ou amigos para tentar esconder o vício e acabam ficando ainda mais isoladas, em consequência, a depressão aumenta e, quando se percebe, vira uma bola de neve.

O vício envolve um comportamento e uma atitude prejudicial, ou seja, um padrão negativo de funcionamento que se infiltra na rotina das pessoas. A terapia cognitiva comportamental (TCC) é o tratamento de primeira escolha e o mais eficaz para quebrar os ciclos desses comportamentos.

Se identificou ou conhece alguém que se encaixe no comportamento descrito por este texto e que precisa da ajuda de um psicoterapeuta? Entre em contato conosco através desse link para agendar uma Avaliação Gratuita Online ou Presencial com uma Psicóloga em Porto Alegre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *