Timidez x Fobia Social: Será que você é realmente tímido?

Apesar de possuírem coisas em comum, timidez e fobia social possuem níveis e manifestação de sintomas diferente. Você já parou para pensar que essa sua timidez excessiva poderia desenvolver uma real fobia?

Pois é… Na fobia social, as pessoas apresentam muita timidez em ambientes novos, desconhecidos e com pessoas estranhas. Essa situação é acompanhada por muita ansiedade e, em alguns casos, o indivíduo pode ter uma crise, por se sentir observado pelos outros. Além disso, a pessoa preocupa-se com o que os outros irão pensar dela, sente medo de passar vergonha por agir de alguma forma inadequada ou mesmo pelos sinais físicos da ansiedade, como o rosto vermelho, mãos que tremem, suor excessivo, falta de concentração, coração acelerado e sensação de tontura.

Falar em público, ir a uma festa ou fazer compras em uma loja são situações que podem gerar grande sofrimento, pela ansiedade excessiva que essas pessoas sentem ao executarem essas tarefas. A dificuldade em lidar com o sofrimento de precisar sair de casa, por exemplo, faz com que alguns pacientes comecem a evitar essas situações, ou seja, acabam tendo um prejuízo muito grande em suas vidas, pois deixam de ter convívio social. Além disso, ao evitarem as situações temidas, acabam reforçando a fobia social.

Geralmente, essas pessoas possuem uma visão pessimista, pensamentos negativos e são muito críticas e exigentes. Também apresentam poucas habilidades para lidar nas situações sociais, como dificuldade para puxar conversa com alguém, não saber como chegar em uma garota em uma festa ou expor alguma opinião própria em uma roda de amigos.

A fobia social pode ser específica ou generalizada. Quando específica, a pessoa teme algumas situações. Generalizada, o indivíduo teme quase todas as situações sociais, como falar em publico, sair com os amigos, namorar, comer na frente dos outros, escrever na frente dos outros, etc.

Tanto na timidez, quanto na fobia social, podem acontecer as mesmas sensações: vontade de fugir, medo, nervosismo, etc… Mas, no caso da fobia social, esses sintomas são tão fortes que fazem com que a pessoa evite se expor as situações temidas. Já uma pessoa tímida pode até se sentir mal, mas isso não a impede de seguir se expondo, sem que isso cause danos a sua saúde.

Com o passar do tempo, a timidez pode acabar virando uma fobia, dependendo muito de como a própria pessoa lida consigo mesma e com seus medos em determinadas situações. Se uma pessoa tímida se aceita, controla os sintomas e se expõe a situações que lhe dão vergonha, com um pensamento construtivo, a tendência é que a timidez melhore e, na maioria dos casos, até desapareça. Mas uma pessoa tímida que começa a evitar situações e a ter pensamentos negativos e destrutivos, tende a desenvolver a fobia com o tempo, conforme esses pensamentos forem alimentados.

Se identificou ou conhece alguém que se encaixe no comportamento descrito por este texto e que precisa da ajuda de um psicoterapeuta? Entre em contato conosco através desse link para agendar uma Avaliação Gratuita Online ou Presencial com uma Psicóloga em Porto Alegre. Melhore já os seus relacionamentos e a sua VIDA com a Terapia Cognitivo-Comportamental.