VOCÊ SABE O QUE ANORGASMIA?

Marisa é uma mulher de 37 anos, empresária, casada e com dois filhos, conta que nunca teve orgasmo nas relações sexuais, somente através da masturbação e, ainda assim, somente algumas vezes. Ela procura ajuda, pois não se sente “mulher o suficiente” e “não consegue fazer seu marido feliz”, já que nunca conseguiu atingir o orgasmo com ele, em mais de vinte anos de relacionamento.

A paciente chega para a psicoterapia bastante triste, muito ansiosa e com sua autoestima muito baixa. Marisa repete diversas vezes que não é mulher o suficiente e que nunca fará um homem feliz. Já procurou um ginecologista, que assegurou a ela que ela é plenamente apta a ter orgasmos, mas sua “cabeça não está deixando”.

Marisa é a filha do meio de uma família de sete irmãos. Sua infância foi bastante humilde em uma cidade do interior, que ela brincava muito e era muito feliz, apesar de ser bastante reprimida pelos pais e pelos irmão, principalmente os homens, muito religiosos, que afirmavam que tudo era pecado e que qualquer deslize poderia levá-la ao inferno.

Conheceu seu marido quando tinha 15 anos de idade e logo começaram a namorar. O casamento aconteceu quando ela tinha 18 anos e logo se mudaram para a capital, para tentar a sorte. O marido de Marisa foi sua única experiência sexual e ela perdeu a virgindade somente depois do casamento, pois tinha muito medo de estar pecando.

Ela diz que sua primeira experiência sexual foi dolorida e frustrante. Teve muito medo, sabia muito pouco sobre sexo e ficou muito ansiosa, apesar de seu marido tentar fazer, segundo suas palavras, “tudo de maneira calma e gentil”. Para Marisa, o sexo com seu marido é muito bom, ela sente muito prazer durante as preliminares, tem vontade de fazer sexo com ele, mas nunca consegue atingir o orgasmo.

Aos 25 anos quando, numa noite em que dormiu sozinha, masturbou-se. Ela diz que ficou tão feliz e relaxada que seu marido estranhou seu comportamento e ela teve que dizer a ele o que fez. Segundo ela, seu marido a apoia, mas não compreende o motivo pelo qual ela não sente orgasmo quando tem relações sexuais com ele.

Marisa procurou ajuda através de Psicoterpia e a psicóloga, de maneira aberta e sem restrições, iniciou com informações sobre sexo e Anorgasmia e ela descobriu que muitas mulheres não conseguem atingir o orgasmo, pois a sexualidade é ainda assunto “tabu”, apesar de toda informação disponível. Marisa descobriu que, apesar de seus vinte anos de casada, ela tinha pouca experiência sexual, pois não costumava experimentar coisas novas. Ela relatava que não seguia mais uma religião como seus pais e irmãos e que já não tinha mais o mesmo pensamento sobre pecado, mas que mesmo assim se sentia muito constrangida em explorar sua sexualidade.

Durante a terapia, Marisa foi incentivada a descobrir seu corpo, a se tocar, experimentar posições novas, viver sua sexualidade consigo mesma de modo saudável. Ela foi incentivada a ler mais sobre sexo, a buscar informações sobre o assunto e conversar sobre o que era dito a ela quando mais jovem. Conhecendo mais sobre si, Marisa pôde mostrar a seu marido o que gostava e como gostava, pôde tomar também para si a responsabilidade pelo sexo e entender que a mulher também pode ter desejos.

Marisa não só mudou seu comportamento na cama, mas ela também conseguiu, desse modo, mudar alguns comportamentos submissos em sua vida diária. Na empresa de construção que tem com o marido, ela passou a gerenciar de maneira mais firme seus negócios, dado o fato de que se sente mais dona de si e de sua vida.

Marisa consegue ter mais orgasmos agora, apesar de ainda não senti-los em todas as relações sexuais, mas também aprendeu que sexo não é somente o orgasmo, que existem outras etapas como o desejo (a vontade de ter relações sexuais em si) e a excitação (quando o corpo e a mente reagem aos estímulos sexuais antes ou durante o ato sexual), que são muito importantes também e que podem ser muito prazerosos.

Seu marido, seus filhos, seus amigos e familiares percebem Marisa muito mais feliz consigo mesma. Com a psicoterapia, ela ganhou qualidade de vida, pois conseguiu compreender o porquê de seu sofrimento. Hoje ela sabe que muito do que foi dito a ela como verdade em sua vida, são informações que condizem com a realidade de determinados grupos, em determinadas épocas.

Marisa, hoje, compreende inclusive a religião de maneira diferente. Ela fez as pazes com sua sexualidade e com sua vida. Agora, ela pode sorrir e sentir-se uma mulher completa, como sempre quis.

Por mais que as pessoas falem mais sobre sexo do que falavam antes, ele segue sendo um assunto tabu.  Muitas vezes homens e mulheres se sentem envergonhados por não conseguir atingir o orgasmo durante suas relações sexuais e acabam mantendo isso em segredo, prejudicando a si mesmo e ao seus parceiros.

A sexualidade não é mais um tabu e todos merecem usufruir dela da melhor forma possível, se você acredita que sentir prazer durante as relações sexuais é algo impossível, não precisa ser assim!

 

Quer saber como melhorar a qualidade da sua vida sexual? Entre em contato agora com a Psicotér e agende já a sua consulta gratuita através desse link para amanhã e em apenas um minuto. Isso mesmo, na Psicotér você terá um horário disponível amanhã mesmo e o agendamento será feito em apenas 1 minuto.

 

 

3 Dicas e um Presente

Vou te dar 3 dicas de ouro e se você me acompanhar

 

até o final, vou te dar um super presente. Estas dicas

 

são trabalhadas em psicoterapia e vão te ajudar a

 

melhorar drasticamente a sua produtividade, mas antes

 

eu preciso que você entenda porque isso é importante.

 

 

O cérebro humano é um dos processadores mais poderosos do mundo. O cérebro é capaz de processar as informações recebidas, analisá-las com base em uma vida inteira de experiência, e apresentá-las para nós em meio segundo. Nem o computador mais avançado do mundo é capaz de simular o processamento do cérebro humano.

Este órgão, não muito grande, para se ter uma noção, representa aproximadamente 2% do peso do corpo, mas apesar de ser humilde nas medidas é grandioso em importância. A responsabilidade de planejar e executar movimentos, compreender a linguagem, armazenar memórias, expressar emoções, aprendizagem, entre outras é praticamente toda dele. Este trabalho é realizado com ajuda de células nervosas conhecidas como neurônios que fazem ligações entre si, as famosas sinapses.

Todas as nossas sensações, sentimentos, pensamentos,  respostas motoras e emocionais, a aprendizagem e a memória, a ação das drogas psicoativas, as causas das doenças mentais, e qualquer outra função ou disfunção do cérebro humano não poderiam ser compreendidas sem o conhecimento do fascinante processo de comunicação entre as células nervosas (neurônios). Os neurônios precisam continuamente coletar informações sobre o estado interno do organismo e de seu ambiente externo, avaliar essas informações e coordenar atividades apropriadas à situação e às necessidades atuais da pessoa. Isto não é incrível? Um órgão tão espetacular também precisa de cuidados.

Se estas ligações não estão em harmonia, nada funcionará bem. Todo o resto estará comprometido, pois não estaremos sentindo e aprendendo de forma positiva ou saudável.

Por isso conhecer seu cérebro, saber como ele trabalha, organizá-lo, fazer aquela “faxina”, ajuda essencialmente para uma vida melhor e mais equilibrada, você descobre seus limites e até onde é capaz de ir.

Assim como o nosso corpo precisa estar saudável fisicamente e nossos músculos precisam de cuidados, nosso cérebro precisa estar organizado, em sincronia e funcionando bem.

Na mesma comparação do cérebro a um processador, o que acontece quando o nosso computador ou celular está com muita informação ou está todo desorganizado? Tudo fica mais difícil, não é mesmo?

 

Prometi te dar 3 dicas para organizar seu cérebro e melhorar a sua produtividade, está preparado?

Dica número 1:

Domine o frenesi

Antes que você possa focar sua atenção, você precisa cuidar de seu frenesi emocional negativo (preocupação, raiva, tristeza, irritabilidade). Estas esmagadoras sensações afetam o seu córtex pré-frontal, região do cérebro que desempenha a função executiva, região com a qual você toma decisões, portanto, não pode “pensar”.

Demasiado stress negativo afeta a sua capacidade de concentração e prejudica a sua saúde.

Alan Brown comentou que tudo que é negativo produz hormônios do estresse, chamado de cortisol, que acaba reduzindo a oxigenação do cérebro. Ao aumentar o nível de cortisol, o organismo mobiliza rapidamente as reservas de energia e retira glicose dos tecidos para ativar a atividade cerebral e aumentar a concentração. Assim, somos induzidos a tomar uma decisão mais rapidamente.

Qual o resultado disso? Comportamento agressivo, pois o cérebro não pensa de forma criativa e analítica, com cautela. Já os pensamentos e emoções positivas produzem serotonina, um neurotransmissor cerebral que regula o sono, evita depressão e enxaquecas e ameniza o apetite. Além disso, a serotonina “incentiva” a superar problemas, iniciar novos projetos, aprimorar as técnicas de negociação e argumentação, desenvolver a criatividade e consequentemente, ter um desempenho muito mais produtivo tanto na vida pessoal quanto profissional.

Dica número 2:

Começar x Terminar

Pare tudo agora. Tente lembrar quantas tarefas ou projetos na sua vida você começou, mas não terminou. Uma faculdade, as aulas de inglês, os treinos da academia… começar algo e não terminar é extremamente prejudicial para a produtividade, pois a mente entende que aquilo ficou pendente e ainda deve ser finalizado. David Allen, um importante consultor de produtividade, afirma que grande parte do estresse das pessoas não vem da quantidade de atividade que elas tem de realizar no dia, mas de não terminar aquilo que começaram.

Começar é sempre mais fácil, mas terminar é extremamente importante. Lembre-se disso.

E a dica número 3, a mais importante, é:

PERMITA-SE

Permita-se arriscar, sorrir, amar, abraçar, cantar, jogar, dançar, gritar, pular, escrever, ler, comer, beber, ser. Permita-se. Entre como você é e como deveria ser, entre como as coisas são e como elas deveriam ser, eu te desafio a permitir-se…

E por que? É quando você pensa diferente, sente diferente, faz diferente que acontecem mais SINAPSES , lembra quando falamos de sinapses? Então, permitir-se é tarefa essencial para organizar e melhorar cada vez mais seu cérebro.

Permita-se ir além, permita-se mudar, permita-se se entregar à uma possibilidade de encontro com a sua essência.

Vem conhecer a maneira mais rápida de fazer a mudança que você quiser, sair do emaranhamento, sair da mesmice, sair desse mundo desorganizado e apático que você está vivendo.

Pegue o seu presente, permita-se: 

Se você ligar agora pra Psicotér e agendar a sua avaliação gratuita, vou te dar mais uma consulta sem custo algum. Isso mesmo! Serão duas consultas sem nenhum custo para você.

Profissionais altamente qualificados e o melhor atendimento você terá aqui. Te ajudaremos a organizar a sua mente e melhorar todas as áreas da sua vida com técnicas atuais, momentos dinâmicos e exercícios surpreendentes.

Estou te esperando e seu horário está reservado, sem demora, para amanhã! Não espere para dar o passo mais importante da sua vida.

 

Whats: (51) 98338006

 

E-mail: [email protected]

 

Telefone: (51) 41002513

 

“Conhecer os outros é inteligência, conhecer-se a si próprio é verdadeira sabedoria. Controlar os outros é força, controlar-se a si próprio é verdadeiro poder.”