Amor de Verão!

Ah, o verão… época do ano em que muitas pessoas tiram férias, viajam, descansam, aproveitam para pegar sol e passear. É também o período do ano em que as pessoas estão mais relaxadas, abertas a novas experiências e tendem a socializar mais.

Nesse contexto, a possibilidade de encontrar alguém especial torna-se muito alta. Ao mesmo tempo, a possibilidade de relacionamentos relâmpago também é grande. Por isso, existe um dito popular de que “amor de verão não sobe a serra”, ou seja, não dura.

Mas será isso uma regra? Não necessariamente. Em termos de relacionamento, nada é regra.

O que muitas vezes acontece no verão é que as pessoas não estão em sua rotina, em sua vida cotidiana e isso muda um pouco os indivíduos. Tende-se a relevar muitas coisas, a ter mais tempo de estar com quem se gosta, curtir mais, não ter muitas regras.

Desse modo, quando acaba o verão e a paixão ainda permanece, as pessoas podem ser surpreendidas pela realidade, ou seja, a rotina, os compromissos, as preocupações, o jeito real de cada um ser, que não está mais mascarado pela aura de férias e de descanso, a distância entre a casa de um e de outro, que podem levar ao fim do relacionamento e à decepção. Isso acontece porque todo mundo, em determinados momentos de suas vidas, estão diferentes daquilo que costumam estar, e o verão, as férias, podem ser estes momentos.

Além disso, não se pode esquecer que as pessoas enxergam as outras, muitas vezes, conforme as “lentes” que utilizam. Ou seja: por estarem mais dispostas, mais relaxadas, acabam não percebendo ou não dando importância àquilo que não está bem, que não as satisfaz, mas, quando acaba o momento do “relax”, acabam por perceber essas importantes diferenças e não dando continuidade ao relacionamento.

Porém, como dito, isso não é regra. Há casais que iniciaram seu relacionamento no período de férias e o amor permaneceu. Para estas pessoas, a rotina e a vida cotidiana não alteraram o sentimento compartilhado e suas “lentes” adaptaram-se a realidade.

O amor e a disposição para o relacionamento independem da estação do ano, pelo contrário, dependem de cada um. Talvez o verão seja época propícia para conhecer outras pessoas, mas não é a única.

Relacionamentos dependem muito mais das pessoas do que de qualquer outra coisa. Se os indivíduos não estão dispostos a continuar um relacionamento, eles não o farão. Lembre-se: os dispostos se atraem.

Apaixonar-se, decepcionar-se, conviver, brigar, chegar a algum acordo ou discordar fazem parte da vida de todo mundo. Cada tombo pode ser a oportunidade de levantar-se novamente, mais forte e mais corajoso.

Como todas as outras paixões, as que acontecem no verão podem durar ou acabar.

 

Por Anne Griza – Psicóloga da Equipe Psicotér

 

Se você está sofrendo por causa de amor, seja ele de verão ou de outra estação, está com dificuldades de esquecer a pessoa, de se afastar dela ou de retomar sua vida, procure a ajuda de um psicólogo, pois ele pode te ajudar neste processo.

Entre em contato conosco através desse link para uma avaliação gratuita com uma psicóloga em Porto Alegre para avaliar a necessidade de uma psicoterapia individual.